Palmas, Tocantins -

Estado


Agrotins 100% Digital

Agrotins 2021 debate ações de fomento e incentivo à piscicultura de forma sustentável

Estratégia Tocantins Competitivo e Sustentável na Piscicultura foi citada no painel, que contou com a participação da secretária Miyuki Hyashida.
- Atualizada em
Descrição: Secretária Miyuki Hyashida falou sobre a Estratégia TO Competitivo e Sustentável Wilson Rodrigues/Governo do Tocantins

O potencial do Tocantins para a piscicultura e o desenvolvimento da prática de forma sustentável no estado foram debatidos no painel “Tocantins Competitivo e Sustentável na Piscicultura e Ações de Fomento e Políticas para a atividade” nesta sexta-feira, 18, na programação da Agrotins 2021 100% Digital.

 

O assunto reuniu os secretários do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Miyuki Hyashida, da Agricultura, Pecuária e Aquicultura, Jaime Café, da Fazenda, Sandro Armando, da Indústria, Comércio e Serviços, Tom Lyra, além dos presidentes do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Fabiano Miranda, do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Renato Jayme, e da Agência de Fomento, Denise Rocha.

 

A secretária Miyuki Hyashida falou sobre a Estratégia Tocantins Competitivo e Sustentável, parte do tema do painel, um projeto de desenvolvimento capitaneado pela Semarh que guiará o Tocantins até o ano de 2040, vinte anos de horizonte temporal. “Ela foi pactuada na COP 25, em Madri, e nós temos 20 anos para trabalhar estratégias de baixas emissões de carbono, produzindo de forma sustentável, dentro dos quatro eixos social, econômico, ambiental e infraestrutura”, destacou.

 

O objetivo é que a estratégia seja pactuada com diversos setores através de diálogos setoriais e multisetoriais, tendo como resultado um arcabouço de iniciativas com metas, responsabilidades e resultados compartilhados, atendendo assim, os múltiplos interesses sociais e lançando o Tocantins a um novo patamar de desenvolvimento sustentável e competitividade nacional e internacional.

 

No eixo econômico, considerando a vocação agro do Tocantins, a meta é fomentar a aplicação de técnicas e conhecimento tecnológico para que cadeias como a de produção de grãos, de carne, de peixes e de florestas plantadas reduzam as suas emissões e garantam a sustentabilidade ao longo das próximas gerações.

 

“O produtor hoje tem uma consciência muito grande, todos sabemos os prejuízos provocados pelas queimadas, por exemplo. E isso tem evoluído, o produtor hoje é consciente e está pronto pros desafios do futuro”, disse o secretário Jaime Café.

 

Piscicultura

 

A titular da Semarh destacou o trabalho que já vem sendo realizado, em parceria com várias secretarias e autarquias do Estado, para promoção da criação de peixes em tanques rede no Tocantins. “Já começamos um trabalho conjunto em Lajeado, Filadélfia, Peixe e São Salvador, onde os ribeirinhos já estão se organizando, trabalhando na infraestrutura de produção e na mobilização”, afirmou.

 

A ação citada pela secretária é o apoio à criação de tilápias em tanques rede nos municípios localizados do entorno do lago da Usina Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães. A Semarh vai contribuir com o projeto realizando o monitoramento dos Parques Aquícolas, gerando um banco de dados sobre a qualidade da água. Além da Semarh, a ação transversal entre secretarias e autarquias estaduais inclui Seagro, Ruraltins, Naturatins e parceria com a Embrapa Pesca e Aquicultura; iniciativa privada, prefeituras e associações de piscicultores.

 

Sobre o fortalecimento da piscicultura no Tocantins, o secretário Jaime Café destacou que o Tocantins tem potencial para ser o maior produtor de peixes do Brasil de forma sustentável. “O governador Mauro Carlesse tem consciência de que para se ter peixe tem que ter água de qualidade, a sustentabilidade é uma premissa desse governo. Então o ambiente é o melhor possível, existe uma vontade de governo em todos os sentidos”, ressaltou.