Palmas, Tocantins -

Estado


Fiscalização
359 visualizações

Além de Palmas, Estado assumirá radares em rodovias; Dnit diz que fará controle

Os trechos das rodovias que receberão os equipamentos foram determinados após um levantamento dos locais com alto risco de acidentes
- Atualizada em
Ageto/Governo do Tocantins

Após a retirada de equipamentos de fiscalização eletrônica de trechos de rodovias que cortam Palmas no final de semana por parte da Prefeitura da Capital, o Governo do Estado informou que, além de puxar para si essa responsabilidade, instalará ainda radares em 12 trechos de rodovias estaduais. O comunicado à população foi feito por meio da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto). Segundo o órgão, os equipamentos de fiscalização eletrônica de velocidade serão colocados em pontos estratégicos de diferentes vias do Estado, incluindo o perímetro urbano de Palmas.

 

Especificamente sobre Palmas, o Departamento Nacional de Infrastrutura e Transporte (Dnit) informou que irá tomar as providências cabíveis visando efetuar o controle de velocidade no segmento da rodovia BR-010/TO, que compreende a travessia urbana de Palmas, entre a rotatória próxima ao Ginásio Airton Senna e o acesso à cidade de Aparecida do Rio Negro. Só não disse quais providências.

 

Os trechos das rodovias que receberão os equipamentos foram determinados após um levantamento dos locais com alto risco de acidentes.

 

Na região Central do Tocantins os trechos serão:

 

  • TO-010, que liga Palmas a Lajeado;
  • TO-050, entre Palmas e Porto Nacional;
  • TO-255, entre Porto Nacional a Fátima;
  • TO-030, que liga Palmas ao Distrito de Taquaruçu;
  • TO-020, entre Palmas a Aparecida do Rio Negro;
  • TO-080, na Ponte Fernando Henrique Cardoso entre Palmas e Distrito de Luzimangues.

 

 

Na região sul, o trecho será:

 

TO-387, na curva conhecida como Apertado da Hora, em Palmeirópolis.

 

 

Na região norte, o trecho contemplado será:

 

TO-222, em Araguaína.

 

 

Também, serão colocados radares do tipo Redutor Eletrônico de Velocidade (REV) e Controladores Eletrônicos de Velocidade com câmera de monitoramento (CEV) em quatro pontos do perímetro urbano de Palmas.

 

De acordo com a Secretária da Infraestrutura, Cidades e Habitação, Juliana Passarin, a medida visa, especialmente, garantir a segurança no trânsito. “Estudos comprovam que o uso desse tipo de equipamento é uma componente importante para a redução de acidentes, junto com outras medidas, que já vem sendo tomadas pelo governo, como ações de educação para o trânsito e melhorias na sinalização das rodovias estaduais”, ressaltou. 

 

 

Licitação

 

A medida para a instalação dos radares está em fase final de licitação. A expectativa é que todo o processo seja concluído no início de fevereiro deste ano. Os pontos foram escolhidos após a realização da análise e classificação dos 5,8 mil km de rodovias estaduais pavimentadas no Estado, por meio da metodologia International Road Safety Assessmet (iRAP). “As informações desse estudo subsidiaram um projeto de modernização da sinalização do estado com a finalidade de diminuir os índices de acidentes de trânsito nas rodovias estaduais”, finalizou a secretária.

 

 

Decisão da Prefeitura de Palmas

 

Após o encerramento do convênio firmado em 2015 entre o Município de Palmas, a Agência Tocantinense de Transporte e Obras (Ageto) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Tocantins (Dnit), a Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), iniciou a remoção dos radares, lombadas eletrônicas e câmeras de monitoramento em trechos das rodovias: TO-010 (sentido Lajeado), TO-050 (sentido Porto Nacional), TO-080 (sentido Aparecida do Rio Negro), e TO-030 (Taquari) e BR-010.


 
Com o encerramento do convênio, a Prefeitura ressaltou que deixou de ser responsável pela realizar de qualquer tipo de operação nesses trechos, como atendimento a acidentes, controle de tráfego e outros. "Ressaltamos que, em maio de 2019, o Município encaminhou documento ao Detran/Ageto/Governo do Estado e ao Dnit informando o interesse em renovar o convênio, mas até o momento não houve interesse das partes em renová-lo" afirmou em nota.

 

Os equipamentos removidos, possivelmente, serão realocados em trechos que são competência de fiscalização municipal.