Palmas, Tocantins -
Em Tupiratins
2.551 visualizações

Aluno autista será indenizado pelo Estado em R$ 52 mil por bullying sofrido na escola

O aluno foi agredido por um colega, dentro da escola, e precisou ser submetido a um procedimento cirúrgico, que culminou com a retirada de seu testículo esquerdo
- Atualizada em
Menino era alvo constante de bullying por parte de um colega da escola Imagem ilustrativa

A Justiça condenou o Estado a indenizar um adolescente autista de Tupiratins no valor de R$ 52 mil, por danos morais, estéticos e materiais, após o aluno ter sofrido agressão física por parte de um colega na Escola Estadual São Tomás de Aquino. O juízo da 2ª Vara Cível de Colinas do Tocantins entendeu que o governo foi omisso ao não cumprir com a obrigação preservar a integridade do aluno nas dependências da escola.

 

Consta nos autos que o adolescente, portador de Transtorno Espectro Autista (TEA) e hiperatividade compulsiva, é acompanhado por uma professora assistente durante as aulas do 1º ano do ensino médio. Ainda assim, o menino era alvo constante de bullying por parte de um colega da escola e, em 5 de junho do ano passado, foi agredido fisicamente. O aluno precisou ser submetido a um procedimento cirúrgico, que culminou com a retirada do testículo esquerdo do adolescente.

 

Na sentença, o juiz Marcelo Laurito Paro pontuou que “as escolas públicas têm a obrigação de guardar e vigiar os alunos que estão nas suas dependências, velando pela sua integridade física e, em caso de omissão da Administração Pública, cabe a ela o dever de indenizar”. Além disso, o magistrado ainda destacou a responsabilidade do Estado sobre os danos causados à vítima. “Não há como negar a concretização de prejuízo digno de ser compensado, porque essa anormalidade anatômica superveniente jamais será reparada”, afirmou.

 

O Estado foi condenado a pagar ao estudante R$ 30 mil por danos morais, R$ 20 mil por danos estéticos e R$ 2.810,08 pelos gastos da família com o tratamento - danos materiais, somando R$ 52.810,08 em indenizações.

 

Seduc

 

Através de nota enviada ao T1 Notícias, a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) esclareceu que "é completamente contra a prática de Bullying ou qualquer outro tipo de violência nas escolas tocantinenses" e reiterou que "desenvolve projetos com o fim de conscientizar alunos, professores e corpo técnico a respeito dos malefícios que esse tipo de violência causa a todas as pessoas que a sofrem".

 

A Seduc pontuou ainda ações como o projeto Conte até 10, em parceria com o Ministério Público do Estado. Além disso, a pasta destacou que é membro do Observatório do Adolescente, entidade interinstitucional que desenvolve ações voltadas para o Estatuto da Criança e do Adolescente. "Objetivo é promover o protagonismo juvenil entre os estudantes objetivando o enfrentamento da violência por meio da participação e do desenvolvimento de políticas públicas educacionais", esclareceu.

 

No caso do Bullying sofrido pelo aluno na escola em Tupiratins, a Seduc esclareceu que à época acompanhou todos os acontecimentos e que prestou toda a assistência com o fim de amenizar o sofrimento do estudante. Já com relação à condenação, a Seduc informa que ainda não foi notificada oficialmente e que aguarda o comunicado oficial da Justiça para se posicionar.