Palmas, Tocantins -

Estado


Luto
271 visualizações

Amiga da família, Dorinha lamenta a morte de jovem médico em decorrência da covid- 19

O médico Caio Martins Guedes, de 33 anos, morreu na manhã desta segunda-feira , 22, após doze dias internado no Hospital Pilar, em Curitiba
- Atualizada em
Divulgação

A deputada professora Dorinha manifestou solidariedade a professora Sizineide Guedes,  pelo falecimento de seu filho, o médico Caio Guedes, de 33 anos, em decorrência de contaminação pelo novo coronavírus. Caio, que era natural de Taguatinga,  atuava em Curitiba (PR) como residente no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, e também plantonista em Bocaiúva do Sul, ambas cidades da região metropolitana da capital.  




Para Dorinha, Sizineide Guedes, conhecida como Neidinha - a mãe do jovem médico- é uma amiga, que  trabalhou junto a deputada ainda nos tempos de gestão da Secretaria Estadual de Educação.  Professora pioneira do Estado, ela atua hoje na Diretoria Regional de Educação de Palmas.





 "Tenho me colocado no lugar da minha amiga Neidinha, imaginando a dor de perder um filho que se encontrava distante, mas no auge de suas conquistas e realizações. É triste. Só Deus para consolar", ressaltou a deputada.

 

Caio Martins Guedes

 

O médico Caio Martins Guedes, de 33 anos, morreu na manhã desta segunda-feira , 22, após doze dias internado no Hospital Pilar, em Curitiba. Ele era residente de ortopedia no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, e também plantonista em Bocaiúva do Sul, ambas cidades da região metropolitana de Curitiba.

 

De acordo com jornal Tribuna do Paraná, inicialmente, o médico ficou internado no Hospital Angelina Caron, onde trabalhava, porém foi transferido em seguida ao Hospital do Pilar. De acordo com a assessoria de imprensa do Caron, o jovem não tinha doenças pré-existentes, mas apresentava histórico de obesidade. O hospital lamentou a perda de um colaborador que atuou com grande dedicação na casa hospitalar.

Notícias sobre:

dorinha deputada médico covid luto