Palmas, Tocantins -

Estado


Abaixo-assinado
3.312 visualizações

Campanha pedindo o impeachment do governador será lançada nesta 5ª, em Palmas

A campanha visa recolher mais de 10 mil assinaturas em um abaixo-assinado e será enviado para todos os municípios do Tocantins
- Atualizada em
Descrição: Servidores estão em greve há quase 80 dias Foto: Divulgação

Uma campanha que pede o impeachment do governador Marcelo Miranda será lançada em Palmas, às 9 horas desta quinta-feira, 27, com o tema “Tchau, Marcelo: Impeachment Já”. O lançamento acontece no auditório do Hotel 10, na Avenida Theotônio Segurado, em Palmas. De autoria dos servidores Cleiton Pinheiro e Gustavo Menezes, a campanha visa recolher mais de 10 mil assinaturas em um abaixo-assinado e será enviado para todos os municípios do Tocantins. “Queremos contar com a participação de todos, de cada setor da sociedade organizada”, pontuaram Gustavo e Cleiton.

 

Aberto à participação de todos, o lançamento é, segundo a organização, uma reação à postura do Estado diante da falta de pagamento da data-base dos servidores públicos do Tocantins que estão em greve há quase 80 dias. “Na ocasião serão listados todos os atos praticados por Marcelo Miranda e que fundamentam o pedido de impeachment. O objetivo da campanha é dar uma resposta da sociedade aos atos praticados por Marcelo Miranda. A população está atenta ao que tem acontecido na administração pública do Tocantins e não vai permitir que o nosso Estado continue sendo tratado com desrespeito e descaso”, argumentam os autores.

 

No evento, também serão divulgadas orientações para aqueles que desejarem colaborar com o processo. O contato com a organização pode ser feito através do e-mail tchaumarcelo@gmail.com ou ainda pela página no Facebook: https://www.facebook.com/tchaumarcelo/.Na última terça-feira, 25, o Movimento lançou sua página de informações no Facebook e em menos de 24 horas, recebeu mais de mil curtidas. Para os organizadores, é um claro sinal de que a campanha tem o apoio da população.

 

Impasse

Na segunda-feira, 24, o Governo do Estado oficiou o Movimento de União dos Servidores Públicos Civis e Militares do Estado do Tocantins (Musme) informando que referente às negociações da data-base, não haverá condições legais e financeiras que possam viabilizar a alteração da proposta já apresentada para os sindicalistas. A proposta é começar a pagar a data-base a partir de janeiro de 2017. Após serem oficiados, os sindicatos que integram o Movimento foram à Assembleia Legislativa ontem, 25, buscar apoio dos parlamentares para reabrir as negociações com o governo.