Palmas, Tocantins -

Estado


Servidores públicos
3.276 visualizações

Carlesse realiza reuniões para negociar pagamentos de progressões e data-base

Juntamente com entidades classistas, o governador pretende estabelecer um plano para implementação dos direitos dos servidores públicos estaduais
- Atualizada em
Washington Luís/Governo do Tocantins

O governador do Tocantins, Mauro Carlesse, iniciou nesta segunda-feira, 19, uma série de reuniões que fará com as entidades representativas dos servidores públicos estaduais. Na pauta, está a intenção em negociar um plano de pagamento das progressões e data-base de todas as categorias de servidores públicos.

 

Os primeiros encontros ocorreram com a presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado do Tocantins (Sindepol), Sarah Lilian Souza, a presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Tocantins (Sinpol), Susi Francisca da Silva e o presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Tocantins (Sindiperito), Silvio Marinho.

 

“Nós temos o máximo carinho e respeito pelo servidor público, que é o responsável por manter a máquina pública funcionando com eficiência. Desde que assumimos, temos feito o trabalho de colocar o Estado dentro dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, de cortar na carne, para que pudéssemos ter condições de tomar outras medidas. Agora, nós temos um grande plano para o servidor público, queremos reunir todos os sindicatos, de todas as categorias, para que possamos chegar a um acordo e corrigir as pendências que ficaram, inclusive de outros governos”, assegurou o governador Mauro Carlesse.

 

Carlesse ainda reforçou que faz questão de manter um vínculo com os sindicatos por saber da importância que estas estruturas representam para a efetivação dos direitos dos servidores públicos. “Com a pandemia, nós temos restringido um pouco este contato, mas nunca deixamos de atender os sindicatos, e com a Polícia Civil não é diferente. Juntos, sempre podemos chegar a uma melhor solução, negociar o passado e traçar uma estratégia para ser executada no futuro, de forma legal”, ressaltou.

 

A presidente do Sindepol, Sarah Lilian Souza, ao lado do vice-presidente Bruno Azevedo, afirmou que o desejo da categoria é que os direitos sejam implementados o mais breve possível. “Confiamos no trabalho do nosso Governador e gostaríamos que esta implementação fosse logo anunciada, mesmo que com efeito financeiro para 2022. Isto seria muito importante, já que agora, dia 21 de abril, é dia do patrono do policial civil”, disse.

 

Já a presidente do Sinpol, Susi Francisca da Silva, destacou que a possibilidade de colocar posicionamentos junto ao Governo do Tocantins vem da boa relação estabelecida com o Executivo, o que contribui para beneficiar diretamente a Polícia Civil. "Temos uma relação de um bom diálogo com o Governo do Estado, sempre que solicitamos, somos recebidos e é sabendo dessa reciprocidade que fazemos algumas colocações. A gente acredita que o Governador é sensível a nossa pauta”, destacou.

 

Vereador acompanha negociações

 

Ainda nesta segunda, o vereador de Palmas, Moisemar Marinho, também foi recebido pelo governador Carlesse para tratar do tema relativo ao pagamento das progressões. Após a reunião com o Governador, o vereador reforçou sua confiança na Gestão Estadual para a resolução da demanda.

 

“Há mais de dez anos, nenhum Governo conseguiu atender esta demanda dos policiais civis do Tocantins e recebemos, hoje, a garantia por parte da Gestão de continuar fazendo um esforço para que este benefício seja concedido. Este diálogo é um avanço e ficaríamos muito satisfeitos se a Polícia Civil fosse contemplada, porque no dia 21 é dia do policial civil. Parabéns ao Governo pela abertura desse diálogo e nós vamos continuar com estas tratativas aqui no Palácio para tentar levar este benefício a nossa categoria espalhada pelos 139 municípios”, afirmou o vereador.

 

Quadro Geral

 

Também nesta segunda-feira, 19, estava agendada audiência com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos (Sisepe), Cleiton Pinheiro. No entanto, um problema de saúde do presidente provocou o adiamento da reunião, que será agendada para nova data.