Palmas, Tocantins -
Em Palmas

Casa de Apoio articula uma rede de parceiros; entidade recebe 80 pessoas por dia

A iniciativa foi apresentada em um café da tarde na própria Casa de Apoio nesta última segunda-feira, 10.
- Atualizada em
Café da tarde para reunir parceiros Carlessandro Souza

A Casa de Apoio Vera Lúcia, em Palmas, que acolhe pacientes em tratamento e parentes sem suporte na capital, deu o pontapé inicial para a criação de uma rede de parceiros para manter e proporcionar melhorias nos serviços oferecidos à população. A iniciativa foi apresentada em um café da tarde na própria Casa de Apoio nesta última segunda-feira, 10.  

 

O projeto será liderado pelo Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas). Esposas de deputados estaduais, além da secretária executiva da governadoria, Juliana Passarim, representando a primeira-dama do Estado, Fernanda Mendonça Carlesse, estiveram no encontro para unir esforços no desejo de melhoria da entidade filantrôpica.  

 

De acordo com o secretário da Setas, Messias Araújo, o Governo do Tocantins atende diariamente na Casa de Apoio entre 60 e 80 pessoas.  Só em 2018, foram recebidos mais de 21 mil hóspedes, vindos dos 139 municípios tocantinenses e de outros estados, como Bahia, Maranhão, Pará, Piauí, Mato Grosso e até do Rio Grande do Sul. 

 

 Na Casa, as pessoas contam gratuitamente com hospedagem e três refeições diárias. Mesmo com o custeio contínuo com recursos totalmente estaduais, a Casa de Apoio conta com parcerias, como explica o secretário: “Para que possamos oferecer todo o suporte material e espiritual que as pessoas precisam nesses momentos de sofrimento contamos com parcerias. Nosso intuito é fazer a Casa de Apoio conhecida para quem precisa de seus serviços, mas também para quem tem o desejo de ajudar”.  

 

Para Virgínia Andrade, esposa do presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins, Antônio Andrade, a iniciativa da Setas é fundamental pois mostra o cuidadoso trabalho que vem sendo realizado na Casa de Apoio e dá oportunidade para quem deseja ajudar: “Precisamos ser solidários com a dor do outro, sou grata pela oportunidade de poder ajudar”, comentou Virgínia, que participou de um café da manhã na Casa em fevereiro e tem mobilizado pessoas próximas para conhecer o projeto. 

 

A união de esforços tem se traduzido em amparo para pessoas como Dona Nilsa Teodoro Tibúrcio, que está há 41 dias hospedada na Casa de Apoio, enquanto passa por um tratamento de radioterapia. Ela é de Jacundá, no Pará, não conhecia Palmas, não tem nenhum parente no Estado e não teria condições financeiras para custear suas despesas fora de Casa. Para ela, essa confluência de amor se traduz em gratidão: “Fui muito bem cuidada nesse lugar e daqui a oito dias volto para meu lar, mas vou levar muita gente no coração”, se emociona. 

 

Segundo a representante da primeira-dama do Estado, Juliana Passarim, a ação de governo é identificar as demandas imediatas e dar celeridade: “Queremos entregar serviços de qualidade à população. Nosso desejo é fazer desse lugar uma segunda Casa para as pessoas”, declarou. 

 

Ações voluntárias 

 

A Casa de Apoio sempre recebe doações e ações voluntárias de amparo emocional e espiritual para seus hóspedes. Algumas das necessidades constantes dos usuários são roupas, calçados fechados (exigência dos hospitais), itens de higiene pessoal, e alimentação complementar. Os interessados em conhecer a Casa e se tornarem parceiros podem entrar em contato pelo telefone (63) 3218-2465.