Palmas, Tocantins -

Estado


Protesto
591 visualizações

Centrais sindicais do Tocantins aderem à mobilização nacional desta quinta

Mobilização faz parte do Dia Nacional de Lutas e vai reunir todas as centrais sindicais e movimentos sociais do Tocantins a partir das 15 horas de quinta-feira,11.
- Atualizada em

Diversas centrais sindicais e movimentos sociais realizam nesta quinta-feira, 11, em Palmas uma mobilização pelo Dia Nacional de Luta com Greves e Mobilizações. O movimento é organizado nacionalmente e no Tocantins, o protesto acontecerá em Palmas, com programação durante todo o dia.

Realizam a mobilização, as seguintes Centrais Sindicais: CUT, CTB, Força Sindical, UGT e Nova Central (NCST). A convite do presidente da Central Única dos Trabalhadores no Tocantins- CUT-TO, José Roque Santiago, os presidentes das centrais sindicais do Estado, José Aparecido Rufino da CTB, Carlos Augusto da Força Sindical, Cleiton Pinheiro da Nova Central – NCST e Célio Mascarenhas da UGT, estiveram reunidos na segunda-feira, 8, e aderiram ao Dia Nacional de luta.

Ficou definido que o grande ato da mobilização será uma caminhada pelas ruas da Capital, com saída marcada para as 15 horas, em frente ao Colégio São Francisco de Assis, na Avenida JK. As entidades classistas levarão faixas, cartazes e disponibilizarão água para os participantes. As centrais sindicais participarão de forma unificada das manifestações em Palmas, em defesa da democracia e dos direitos dos trabalhadores.

 

Confira a programação em Palmas:

8h – Paralisação na UFT e no IFTO.

10h – Ato público em frente a prefeitura de Palmas, na Avenida JK.

15h – Concentração em frente ao Colégio São Francisco, na Av. JK.

 

 Conheça a Pauta Única das Centrais Sindicais:

·         Redução da Jornada de Trabalho para 40h semanais, sem redução de salários;

·         Fim do fator previdenciário;

·         10% do PIB para a Educação;

·         10% do Orçamento da União para a Saúde;

·         Transporte público e de qualidade;

·         Valorização das Aposentadorias;

·         Reforma Agrária;

·         Suspensão dos Leilões de Petróleo;

·         Contra o PL 4330, sobre Terceirização.


Propostas incluídas pelos movimentos sociais:

·         Reforma política e realização de plebiscito popular;

·         Reforma urbana;

·         Democratização dos meios de comunicação;

·         Pelos Direitos Humanos:

·         Contra o genocídio da juventude negra e dos povos indígenas;

·         Contra a repressão e a criminalização das lutas e dos movimentos sociais;

·         Contra a aprovação do Estatuto do Nascituro;

·         Pela punição dos torturadores da ditadura.

 

Pauta local da CUT-TO e dos movimentos sociais no Tocantins:

·         Demarcação das terras indígenas;

·         Homologação das terras Quilombolas;

·         Revogação da PEC 215 que transfere para o Congresso Nacional a demarcação das terras indígenas;

·         Estatização da Celtins;

·         Criação da CPI da Celtins;

·         Revogação do Auxílio Moradia concedido aos deputados estaduais, Tribunal de justiça, Ministério Público e Tribunal de Contas.

Movimentos Sociais que elaboraram a pauta durante reunião realizada no último dia 4: CIMI, MAB, SINASEP, SINTSEP, MST, MTST, SINTET, SINTRAS, SINTAD, SEET, MNLM E UNMP.