Palmas, Tocantins -
Exonerações na Saúde

CRM relata ao MP problemas decorrentes das exonerações: faltam profissionais na Saúde

Exonerações ocorreram sem o devido planejamento, resultando no agravamento de problemas que já existiam, como a insuficiência de profissionais para cobertura de plantões, segundo CRM
- Atualizada em
Reunião aconteceu no gabinete do Procurador do MPE Ronaldo Mitt

Em audiência com representantes do Conselho Regional de Medicina (CRM) nesta quarta-feira, 9,  o Procurador-Geral de Justiça, José Omar de Almeida Júnior, tomou conhecimento de relatos de prejuízos à saúde pública decorrentes da recente exoneração de médicos que integravam o quadro da Secretaria Estadual da Saúde (Sesau).



Segundo o CRM, as exonerações ocorreram sem o devido planejamento, resultando no agravamento de problemas que já existiam, em especial a insuficiência de profissionais para a cobertura integral das escalas de plantões médicos e a não designação de um diretor técnico para cada unidade hospitalar, que é exigida por decreto federal.



Os integrantes do CRM informaram que ainda estão juntando informações, mas que existe o indicativo de que a maior parte das recontratações já realizadas prevê jornadas de trabalho inferiores para os médicos, o que aponta para a persistência da falta profissionais nas unidades da rede pública. 



“Não estamos aqui por uma questão corporativa, mas para fazer uma defesa dos serviços de saúde prestados à sociedade”, justificou o presidente do CRM, Jorge Guardiola. Antes de ir ao MPE, eles se dirigiram ao Ministério Público Federal (MPF), para relatar a situação. No período da tarde, visitariam as secretarias estaduais de Saúde e de Segurança Pública.



O chefe do MPE ouviu o relato e avaliou: “Vamos torcer para que haja um entendimento o mais rápido possível, já que a saúde pública é uma área tão sensível e requer providências urgentes e de bom senso”. O Ministério Público acompanhará os desdobramentos dessa questão, segundo informou José Omar.

Notícias sobre:

crm saúde