Palmas, Tocantins -
Aprovados em concurso

Curso de Formação do Sistema Socioeducativo terá aula inaugural na segunda-feira

Os aprovados serão instruídos durante 30 dias, na Universidade Unopar, por um grupo de 26 professores selecionados por edital
- Atualizada em
Alunos matriculados no curso foram aprovados em concurso Miller Freitas

A Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Escola de Socioeducação do Tocantins, realiza na próxima segunda-feira, 14, às 14h, a aula inaugural do Curso de Formação dos aprovados em cadastro reserva do concurso para provimento de vagas do Sistema Socioeducativo. A primeira aula, da segunda etapa classificatória do certame, será realizada no auditório do Palácio Araguaia. Na aula inaugural, os 127 alunos matriculados no curso participam da palestra “Construindo a Socioeducação no Brasil”, ministrada pela pedagoga Elisângela Correia Cardoso.

 

Os aprovados serão instruídos durante 30 dias, na Universidade Unopar, por um grupo de 26 professores selecionados por edital. Para a aula inaugural, os alunos devidamente matriculados no Curso de Formação devem apresentar-se com antecedência, portando documento de identificação com foto. Participam das aulas os aprovados para as vagas de Assistente, Técnico e Analista Socieducador.

 

De acordo com Rute Andrade, coordenadora da Escola de Socioedução do Tocantins, os professores aptos para o curso estão harmonizados com as diretrizes da Escola Nacional de Socioeduação (ENS). “Aos futuros servidores, acredito que apresentaremos professores mais práticos e com pensamentos em harmonia com a ENS, além de desmistificarmos preconceitos, pois estamos criando estratégias para mostrar quem de fato são os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa. Assim, ficam mais claros os caminhos”, ressalta a responsável pela Escola.

 

A aplicação da prova objetiva, após o curso, está prevista para o dia 17 de fevereiro e a divulgação do resultado final no Diário Oficial do Estado (DOE/TO) datada para 1º de março. Os candidatos aprovados vão reforçar os trabalhos de socioeducação nas nove unidades socioeducativas, que acolhem adolescentes em conflito com a lei, distribuídas no Estado.