Palmas, Tocantins -

Estado


Estado em Luto
1.257 visualizações

Desembargador aposentado do TJ, Póvoa morre em Goiânia após luta contra o câncer

O velório e o sepultamento acontecerão em Goiânia (GO).
- Atualizada em
Descrição: Ex-desembargador Liberato Póvoa Reprodução

O desembargador aposentado Liberato Póvoa faleceu na madrugada desta quarta-feira, 25, em Goiânia. Ele tinha 75 anos de idade e lutava contra um câncer na bexiga.

 

O velório começou às 14 horas desta quarta, no Cemitério Jardim das Palmeiras, na capital goiana, onde também ocorrerá seu sepultamento, nesta quinta-feira (26/12), às 10 horas.

 

Liberato

 

Liberato Póvoa é tocantinense de Dianópolis, exerceu no Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins os cargos de Presidente, vice-Presidente e Corregedor-Geral da Justiça; presidiu todas as principais Comissões Permanentes; foi professor de Direito Internacional na Fundação Universidade do Tocantins (UNITINS); membro fundador da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Tocantins e da Academia Tocantinense de Letras, dentre outras funções.

 

Antes de ingressar na magistratura, desempenhou funções relevantes no MEC e foi Diretor do Instituto de Menores de Dianópolis-TO, órgão da antiga FEBEM-GO. Publicou mais de vinte obras de cunho literário (nos gêneros conto, romance, crônica, filologia, folclore, história, além de obras jurídicas). Foi eleito, em 2009, por votação popular em todas as escolas tocantinenses, o escritor regional homenageado no “V Salão do Livro”, realizado no mês de maio daquele ano, em Palmas.

 

Póvoa foi afastado de suas funções de desembargador do Tribunal de Justiça há quase dez anos.

 

Notas de Pesar

 

Tribunal de Justiça: O Poder Judiciário do Tocantins lamenta profundamente o falecimento do desembargador aposentado José Liberato Póvoa ocorrido na madrugada desta quarta-feira (25/12), em Goiânia-GO, onde se encontrava em tratamento de saúde.  Neste momento de extrema consternação, o Tribunal externa suas condolências e roga a Deus por conforto aos corações dos familiares e amigos. Integrante da primeira composição do Tribunal de Justiça do Tocantins, em 1989, como vice-presidente, Liberato também foi presidente da Corte Estadual entre 29/11/1989 a 1/2/1991. Ocupou ainda o cargo de corregedor-geral da Justiça. Professor de Direito Internacional da Universidade do Tocantins (Unitins), membro fundador da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Tocantins e autor do Hino do Tocantins, Liberato Póvoa notabilizou-se também por uma vasta produção literária. Ele deixa a esposa Simone e os filhos José Átila, Rodrigo, Alessandro, Khetylyn e Victória.

 

Ministério Público do Estado: Diante do fatídico acontecimento, externamos solidariedade aos seus inúmeros amigos e principalmente à sua família, desejando conforto neste momento de luto. 

 

OAB-TO: É com pesar que a Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Tocantins recebe a notícia da morte do advogado José Liberato Costa Povoa.A Ordem roga a Deus que conforte o coração de familiares e amigos nesse momento de saudade.

 

Governador Mauro Carlessse: Recebi com pesar a notícia do falecimento do desembargador aposentado, Liberato Costa Póvoa, ocorrido neste dia 25, em Goiânia. Como integrante do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, o desembargador Liberato Póvoa  ocupou cargos de destaque como o de Presidente, Vice-Presidente e Corregedor-Geral da Justiça; além de ter sido Professor de Direito Internacional na então Fundação Universidade do Tocantins (Unitins); e também membro fundador da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Tocantins. Rogo a Deus para que conforte familiares e amigos neste momento de grande comoção.

 

Prefeito Moisés Avelino: O prefeito Moisés Avelino manifesta seu profundo pesar pelo falecimento do desembargador aposentado Liberato Póvoa. Neste momento de dor, nos solidarizamos com seus familiares ratificando nosso voto de pesar pela grande perda e agradecimentos à dedicação e trabalho prestado ao Tocantins.

 

Deputado e Presidente da AL Antonio Andrade: É com profundo sentimento de pesar que recebi a notícia do falecimento do desembargador Liberato Póvoa. Rogo a Deus que o receba em seus braços e conforte os corações de seus amigos e familiares.

 

Deputada Federal Professora Dorinha: Educador, desembargador, brilhante presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins, advogado, escritor, fundador da Academia de Letras Jurídicas do Estado, autor do Hino do Tocantins e político. Essas são algumas das prerrogativas que descrevem o  grande ser humano Liberato Póvoa, que na madrugada desse dia 25 encerrou sua missão na terra. Sua trajetória foi um marco histórico, legado para as próximas gerações. Liberato foi um  dianopolino que deu orgulho a sua cidade e ao nosso Tocantins. No dia em que celebramos o nascimento de Jesus, Liberato renasce para a Eternidade. Sabemos que, assim como o apóstolo Paulo, ele combateu o bom combate, encerou a carreira e guardou a fé.

 

Prefeita de Palmas Cinthia Ribeiro: O Tocantins perde um de seus ilustres pioneiros. A morte do desembargador José Liberato Costa Póvoa, ocorrida nesta quarta-feira (25), em Goiânia, muito nos entristece. Entretanto, a sua passagem entre nós foi marcada por uma rica produção intelectual e uma atuação destacada na magistratura, legados que ficarão para todos. Nesse momento de dor pela perda irreparável, transmitimos nossos sentimentos de pesar aos familiares e amigos, e rogamos a Deus que o acolha na eternidade.

 

Deputado Estadual Valdemar Júnior: É com extremo pesar, que lamentamos profundamente a morte do desembargador tocantinense José Liberato Costa Póvoa, 75 anos, ocorrido na madrugada desta quarta-feira, dia 25, em Goiânia, cidade onde residia com a família. Este notável jurista, magistrado e escritor, desempenhou importantes trabalhos, tanto na Literatura quanto na Magistratura tocantinense e em todos os cargos que ocupou. Uma perda imensurável para o Tocantins e para o mundo jurídico. O seu falecimento causa a todos nós, profunda consternação, principalmente para os que tem na figura de Liberato, um grande expoente. Neste momento de dor e sofrimento, me solidarizo com seus familiares, amigos e cidadãos tocantinenses, em especial os cidadãos da nossa querida Dianópolis, cidade natal de Liberato, que perde hoje, um dos seus mais ilustres e conceituados protagonista, membro da família Costa Póvoa, responsáveis pelo desenvolvimento daquela região.