Palmas, Tocantins -

Estado


Em Araguaína
333 visualizações

Dimas segue discurso de Bolsonaro e autoriza reabertura do comércio em Araguaína

O novo decreto do prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, publicado no Diário Oficial desta quinta-feira, 26, retira a suspensão obrigatória de algumas atividades comerciais e renumera restrições
- Atualizada em
Descrição: Prefeito Ronaldo Dimas Reprodução

O novo decreto do prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, publicado no Diário Oficial do Município desta quinta-feira, 26, retira a suspensão obrigatória de algumas atividades comerciais e recomenda uma série de restrições que devem ser cumpridas como medidas de prevenção contra o coronavírus. O documento que entra em vigor a partir desta sexta-feira, 27, permite o retorno do atendimento de restaurantes, lanchonetes, food trucks, trailers, açaiterias, pizzarias, sanduicherias e similares, devendo manter espaçamento mínimo entre mesas de dois metros e no máximo seis cadeiras por mesa, sendo terminantemente proibida a venda e o consumo de bebida alcoólica.

 

Também estão fora da suspensão obrigatória os estabelecimentos comerciais em geral, como centros comerciais, lojas de conveniências, salões de beleza, barbearias, esmalterias e similares, devendo manter espaçamento mínimo de dois metros entre as cadeiras de atendimento e atender exclusivamente com hora marcada, com permanência de apenas um cliente em espera para evitar aglomeração de pessoas.

 

“Tomamos essas novas medidas considerando as orientações do Governo Federal, feitas por meio do pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, avaliando ainda os resultados negativos realizados, até o momento, pela Secretaria Municipal da Saúde em Araguaína. Intensificamos a capacitação dos nossos servidores da saúde para assegurar a continuidade do trabalho de atendimento e monitoramento dos casos suspeitos na cidade”, justificou Ronaldo Dimas.

 

Ainda de acordo com Dimas, a decisão foi também com base nas orientações de médicos e profissionais da saúde em relação à flexibilidade e diante do pedido do setor empresarial e trabalhadores da cidade.

 

Seguem em suspensão

 

Permanecem suspensos, por tempo indeterminado, todos e quaisquer eventos públicos e privados, tais como: shows, atividades culturais, festas, confraternizações, tanto em áreas públicas quanto privadas e os serviços de Mototaxistas, dentre outros.

 

Transporte coletivo continua operando com limite de 50% de lotação e passes livres para idosos e estudantes estão suspensos. Taxistas e motoristas de aplicativos deverão tomar todas medidas necessárias para garantir sua saúde e de seus passageiros, além de seguirem fechados o Parque Cimba, Parque das Águas, clubes e balneários e academias.

 

Deputado Célio Moura reage

 

O deputado federal Célio Moura (PT) disse nesta sexta-feira, 27, ao T1 Notícias que é temerária a decisão do prefeito Ronaldo Dimas e revogar a quarentena. “Ele deixou de respeitar as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) do infectologistas e do próprio Ministério Saúde, para atender a uma atitude insana do presidente Bolsonaro”, reagiu o parlamentar.

 

Moura acha que as novas medidas podem complicar ainda mais o quadro de pandemia do coronavírus e que, por isso, pode ser responsabilizado criminalmente, caso a contaminação se alastre em ritmo acelerado, inclusive com óbitos.

 

Citou que, em um mês desde a notificação do primeiro caso no Brasil, o número de infectados já é 2.991 e 77 mortos. “Uma calamidade; se isso chegar  ao Tocantins, principalmente em Araguaína, vai ser uma mortandade muito grande”, observou Moura, para quem a saúde no município está “em frangalhos” em não teria condições de atender à demanda.

 

O deputado disse que vai encaminhada ainda nesta sexta-feira ofício aos vereadores pedindo que o Legislativo tome uma atitude firme contra as novas medidas do prefeito que autoriza a reabertura do comércio local.

 

Célio Moura mencionou a morte na madrugada desta sexta, 27, do prefeito de São José do Divino, Antônio Nonato Lima Gomes, conhecido como Antônio Felicia (PT), 57 anos, que morreu no pronto-socorro do município de Piracuruca com diagnóstico clínico de Covid-19.

 

“Antônio Felicio comunicou ainda na quarta-feira, 25, aos familiares e amigos que estava com febre e dificuldades para respirar, sintomas semelhantes aos provocados pelo novo coronavírus”, relatou  parlamentar.

 

Conhecido como Antonio Felícia,  Antonio Gomes é natural do Piauí, mas morou por muito tempo no Tocantins, em Araguaína, onde era o dono da Rally Motos. O pai dele, Manoel Gomes, morava em  Babaçulândia.