Palmas, Tocantins -

Estado


Covid-19
156 visualizações

Duas unidades prisionais do Estado recebem centrais de isolamento para detentos

O Núcleo de Custódia e Casa de Prisão Provisória de Palmas e a Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota agora contam com Central de Isolamento para separar os detentos.
- Atualizada em
Descrição: entrais de isolamento para detentos com sintoma de covid-19 no Barra da Grota. Embrasil Serviços

Em decorrência da pandemia do coronavírus, e pensando em combater o contágio dentro do ambiente carcerário, a Superintendência de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional da Secretaria do Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), juntamente com a empresa cogestora, Embrasil Serviços, instalou Centrais de Isolamento para Detentos com Sintomas da Covid-19 (leitos de enfermaria) em duas unidades prisionais, sendo uma no Núcleo de Custódia e Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP Palmas) e a outra na Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota.

 

Para o Superintendente do Sistema Penitenciário e Prisional, Orleans de Sousa Alves, a medida adotada é necessária para prestação de atendimento específico de saúde e prevenção da transmissão do coronavírus entre a população carcerária. “As centrais de isolamento implantadas nas unidades prisionais irão funcionar da melhor forma para garantir a segurança dos detentos que já estão no Sistema, no que tange a saúde. Contando com uma equipe capacitada que tomará todos os cuidados necessários ao monitorar os reeducandos que irão permanecer em quarentena durante o período recomendado”, afirmou.

 

O gerente de ressocialização da Embrasil, Alexandre Calixto, explica que as centrais de isolamento da Covid-19 são separadas da estrutura principal das unidades e foram abastecidas com medicamentos para alívio dos sintomas, soro e oxigênio. “Quando um detento apresenta sintomas, fazemos a primeira avaliação na enfermaria e, caso os sintomas relevem uma possível infecção pelo novo coronavírus, o encaminhamos para a área de isolamento, onde ficará até que seja testado. Se o resultado for positivo, isolamos o infectado por 21 dias e monitoramos também seus companheiros de cela por 14 dias, evitando a proliferação do vírus”, esclarece.

 

O médico do Sistema Penitenciário, Osvaldo Neto, fala sobre quais profissionais irão atuar no atendimento de saúde dos detentos com sintomas. “O monitoramento dos homens privados de liberdade será efetuado pelas equipes de saúde das unidades, formadas por médicos, enfermeiros, técnicos e farmacêuticos”, exemplifica.  O médico conta ainda que os detentos que apresentarem evolução da doença com sintomas graves serão encaminhados ao hospital de referência.

 

Celas de isolamento

 

Além das Centrais de Isolamentos para Detentos com Sintomas da Covid-19 (leitos de enfermaria), também foram destinadas Celas de Isolamento em todas as unidades prisionais para detentos que apresentarem sintomas de gripe e foram selecionadas 15 unidades para receber novos presos durante a pandemia e assim evitar que ingressos no sistema com o coronavírus possam contaminar outros detentos. “Os reeducandos que entrarem no Sistema Penitenciário do Tocantins ficarão em isolamento durante 14 dias, sendo monitorados caso haja algum sintoma de síndrome gripal dentro desse período”, elucidou o médico.

 

Medidas para prevenção de contágio

 

Outras medidas de prevenção a Covid-19 estão sendo tomadas desde o início da pandemia, como a desinfecção das celas e das áreas comuns duas vezes ao dia com quaternário de amônio, o uso de máscaras, luvas e álcool em gel por todos os servidores e funcionários da Embrasil, monitoramento da temperatura e aplicação de questionário para avaliação de possíveis sintomas para adentrar a unidade prisional.