Palmas, Tocantins -

Estado


Fim da greve
1.086 visualizações

Governo fecha acordo com 18 categorias: professores universitários estão fora

O Governo Federal anunciou que fechou acordo para acabar com a greve em 18 categorias de servidores federais. O acordo será assinado nesta quarta-feira, 29, e os servidores retornam ao trabalho na segunda-feira, 3.
- Atualizada em

Cerca de 250 mil servidores públicos, principalmente de carreiras administrativas, de 18 categorias ligadas à Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) voltam ao trabalho na próxima segunda-feira (3). Após pouco mais de dois meses em greve, eles decidiram, durante plenária nacional, assinar acordo com o Governo Federal aceitando a proposta de reajuste de 15,8%, e suspender a paralisação.

 

Os professores das universidades federais, em greve há mais de três meses, não estão incluídos no “pacotão”.

 

Segundo o secretário-geral da entidade, Josemilton Costa, nos próximos dias serão realizadas assembleias estaduais para reportar a decisão aos integrantes do movimento, que ele avaliou como positivo. Costa disse que o fim da greve não encerra a mobilização das categorias. Os 18 setores deliberaram pela assinatura do acordo, mas isso não significa que a mobilização vai parar.

 

Quem volta

 

O acordo vai beneficiar funcionários de 18 carreiras do Plano Geral de Cargos do Poder Executivo (PGPE), da Previdência, Saúde e Trabalho (CPST) e correlatas, também chamada de “carreirão”. Receberão aumento os servidores da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Fundação Nacional do Índio (Funai), Arquivo Nacional, Imprensa Nacional, Museu do Índio, Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) e Secretaria de Patrimônio da União.

 

O reajuste também beneficia os funcionários dos ministérios da Saúde, Previdência, Trabalho, Cultura, Fazenda, Agricultura, Planejamento, Justiça, Transportes e Integração Nacional, além dos cargos administrativos da Polícia Rodoviária Federal.

 

Outras categorias que integram a base do Condsef, mas estão negociando separadamente com o governo, informaram a confederação que também vão aceitar a proposta e assinar o acordo. Entre elas estão os servidores do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) e das carreiras ambientais, que incluem o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Ministério do Meio Ambiente e Instituto Chico Mendes.

 

Já os servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) decidiram manter a paralisação, conforme informou o diretor da Confederação Nacional das Associações dos Servidores do Incra (Cnasi), Reginaldo Aguiar. Segundo ele, a entidade aguarda nova negociação com o Ministério do Planejamento.

(Com informações da Agência Brasil)

Notícias sobre:

greve governo federal