Palmas, Tocantins -
Após 15 mil demissões
1.811 visualizações

Governo readmite mais 557 servidores da Saúde e mais de 250 da Cidadania e Justiça

As recontratações ocorrem após reclamações e denúncias da população sobre a falta de atendimento e de médicos nos hospitais do Estado, ocasionadas desde a exoneração de 15 mil servidores
- Atualizada em
População tem reclamado da falta de médicos nos hospitais Divulgação

O governo do Estado revogou, em Diário Oficial publicado na noite de ontem, 8, mais 557 demissões de servidores que atuam nos hospitais públicos do Tocantins por meio de Termos de Compromisso de Serviço Público de Caráter Temporário.

 

O secretário de Estado da Administração, Edson Cabral, excluiu, do ato de exclusão dos contratos, publicado em 1º de janeiro os nomes dos profissionais, restaurando seus respectivos cargos.

 

As recontratações ocorrem após reclamações e denúncias da população sobre a falta de atendimento e de médicos nos hospitais do Estado, ocasionadas desde a exoneração de 15 mil servidores, entre eles 629 médicos.

 

Entre as recontratações estão assistentes de serviços de saúde, porteiros, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos, médicos, auxiliares de limpeza hospitalar, técnicos em enfermagem, assistentes sociais, médicos pediatras e outros.

 

Além dessas contratações, 14 pessoas foram nomeadas para cargos comissionados de direção e superintendência na Secretaria da Saúde.

 

Sistema prisional

 

O Estado também revogou, no DOE de ontem, mais de 250 demissões de servidores dos Sistemas Prisional e Socioeducativo, na Secretaria de Cidadania e Justiça, restaurando os contratos de agentes administrativos, analistas e técnicos em Suporte e Operação, que atuam nas unidades prisionais e nos centros socioeducativos do Tocantins.