Palmas, Tocantins -
Embriagada ao volante
2.436 visualizações

Iolanda Fregonesi vai à Juri Popular em caso de atropelamento do médico Pedro Caldas

Por sempre comparecer às audiências, Iolanda responderá o processo em liberdade.
- Atualizada em
Médico morreu após passar 34 dias em UTI de hospital Divulgação

Iolanda Costa Fregonesi, acusada de atropelar e matar o médico Pedro Caldas em acidente na marginal da TO-050 em Palmas, vai à Juri Popular para ser julgada pelo crime de homicídio qualificado. A decisão é desta sexta-feira, 11, do juiz Luiz Zilmar dos Santos Pires. Para o juiz, há "presença de subsídios suficientes para justificar a submissão da acusada ao Plenário do Tribunal do Júri". Por sempre comparecer às audiências, Iolanda responderá o processo em liberdade.

 

O acidente aconteceu no dia 12 de novembro de 2017. Iolanda Fregonesi estava embriagada ao volante quando atropelou o médico Pedro Caldas e o atleta que estava Moacir Naoyok Ito, que saiu ferido. Pedro Caldas ficou internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por mais de 30 dias, até sua morte em decorrência dos ferimentos causados na cabeça devido o acidente.

 

Além de embriagada, a mulher não tinha habilitação. Ela também já havia se envolvido em outro acidente nessas condições.

 

O T1 Notícias aguarda manifestação da defesa de Iolanda Fregonesi. O espaço está aberto.

 

Confira a decisão aqui.

Notícias sobre:

iolanda fregonesi pedro caldas