Palmas, Tocantins -
Aluguéis atrasados
2.769 visualizações

Juíza determina despejo de prédios das Delegacias de Palmas e de Pedro Afonso

A dívida requerida do prédio que abriga o complexo de delegacias de Palmas é R$ 224 mil, já de Pedro Afonso, é de R$ 20 mil
- Atualizada em

Na tarde desta segunda-feira, 11, a juíza Cibele Maria Bellezia, da 1ª Vara da Fazenda e Registros Públicos de Palmas, determinou o despejo dos prédios onde ficam o 2º Complexo de Delegacias Especializadas da Polícia Civil, em Palmas, e da Delegacia de Pedro Afonso.

 

Nos dois casos, o Governo do Estado tem o prazo de 15 dias para a desocupação dos imóveis. Como se trata de uma decisão liminar, ainda cabe recurso.

 

A dívida requerida do prédio que abriga o complexo de delegacias de Palmas é R$ 224 mil,  que equivale por atrasos de até outubro do ano passado. A Rios Empreendimentos Imobiliários LTDA cobra sete meses de aluguel atrasado, já que o aluguel mensal do imóvel com reajustes corresponde a R$ 32 mil.

 

A imobiliária informou, no processo, que o Estado não está honrado com o pagamento do valor pactuado desde abril de 2017 e que já havia pedido desocupação do prédio no caso de não pagamento.

 

No caso da Delegacia de Pedro Afonso, a dívida perfaz um total de R$ 20.756,72, totalizando nove meses sem pagamento. O valor estipulado corresponde a R$ 2 mil de aluguel do prédio mais juros.

 

Imóveis

 

O prédio que abriga as Delegacias Especializadas de Palmas fica situado na Av. Teotônio Segurado, quadra 202 sul.  A Delegacia de Pedro Afonso fica na Avenida Mestre Bento n. 1.607, Setor Aeroporto.

 

O 2º Complexo de Delegacias Especializadas foi inaugurado em 2017 e a agregar as delegacias de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC), Estadual de Repressão aos Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), de Repressão aos Crimes de Maior Potencial Contra a Administração Pública (Dracma), Especializada na Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFVRA), Especializada na Repressão aos Crimes Praticados contra Concessionárias Prestadoras de Serviços Públicos (Derfae) e a de Costumes, Jogos e Diversões Públicas (Costumes).

 

Até o fechamento da matéria, o Governo do Estado não havia se mafinestado sobre a sentença dada pela juíza. O Espaço continua aberto. 

Notícias sobre:

estado delegacias