Palmas, Tocantins -

Estado


Saúde
290 visualizações

Militares do Exército fazem treinamento para ajudar Sesau em ações contra Aedes

O Exército será um reforço nas ações contra o Aedes durante período chuvoso
- Atualizada em
Descrição: Cerca de 150 militares do Exército foram treinados Foto: Ascom

Cerca de 150 militares do Exército Brasileiro receberam treinamento qualificado para atuar em mutirões de combate ao Aedes aegypti. A capacitação foi oferecida pela Secretaria de Estado da Saúde e aconteceu no 22º Batalhão de Infantaria (BI) do Exército Brasileiro, em Palmas. No treinamento, os militares receberam orientações sobre como funciona o ciclo de vida do mosquito, condições necessárias à reprodução e como identificar, remover e tratar criadouros do mosquito.

 

Facilitador do treinamento, o biólogo em Saúde, Marcos Timóteo Torres, deu as orientações sobre como medir capacidade de acúmulo de água em depósitos que podem ser tratados quando localizados em mutirões. O treinamento também incluirá atividades práticas voltadas para demonstrar exemplos de situações que podem ser encontradas em visitas em campo. “A capacitação tem instruções sobre eliminar diversos tipos de foco, fazer coleta de amostras e como fazer tratamento químico com larvicida. Eles também vão estar aptos a instruir os moradores sobre como adotar alternativas para eliminação do risco de foco”, completou Marcos Timóteo Torres.

 

O 1º tenente Carlos Henrique Whiedmer Bosch, oficial médico do 22º BI, explicou que o Exército já trabalha a temática em sua rotina. “É feito um trabalho minucioso na busca de focos, de interrupção de proliferação do vetor dentro das unidades. Outro momento é esse trabalho de capacitação que visa, não só preparar o militar para o combate ao vetor em campo, mas transformar esses militares em multiplicadores de conhecimento em suas famílias. Temos militares de vários municípios e assim conseguimos abranger boa parte do território com essa multiplicação de conhecimento”, completou o médico. 

 

Na ocasião, a diretora de Vigilância das Doenças Vetoriais e Zoonoses, Mary Ruth Batista, esclareceu quão importante é a disseminação de informação entre os parceiros do Estado e qualificou como valiosa a colaboração do Exército nas ações de prevenção e controle das doenças transmitidas pelo Aedes. “É essencial essa qualificação porque é importante o entendimento do que são as doenças transmitidas por esse mosquito. Mas mais importante é conhecer quem é o transmissor dessas doenças e quais cuidados podemos ter em casa, no ambiente de trabalho ou com o vizinho orientando sobre como evitar a transmissão da zika, da dengue e da chikungunya. Nesse contexto, o Exército vem somar, ampliar essa força de trabalho exercida pelos agentes de combate a endemias nos municípios e multiplicar conhecimento com a credibilidade que eles possuem com a comunidade”, completou.

 

Acerca do treinamento e da disponibilidade da corporação em colaborar em mutirões no Estado, o 1º tenente Whiedmer completou: “a participação do Exército visa somar forças com a Vigilância em Saúde para atuar junto com os agentes em campo. Estamos nos antecipando aos problemas e preparando os militares para colaborar”, ressaltou, destacando que também atua como representante da corporação na Sala Estadual de Coordenação e Controle para o Enfrentamento da Dengue, Chikungunya e Zika.

 

Mobilização

Na próxima semana a capacitação será oferecida também a membros da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militares do Estado para preparação de ação de mobilização programada para o dia 2 de dezembro. A intenção é capacitar ainda mais parceiros para inícios das mobilizações em Palmas e 14 municípios.