Palmas, Tocantins -

Estado


Linha e Arte
315 visualizações

Mulheres recebem oportunidade de profissionalização dentro de prisão feminina

Em Palmas, foi inaugurado o espaço do projeto Linha e Arte, onde reeducandas recebem profissionalização em oficinas permanentes de corte e costura na cadeia feminina
- Atualizada em
Descrição: Reeducandas fazem oficina de corte e costura Divulgação

As reeducandas da Unidade Prisional Feminina (UPF) de Palmas, estão tendo a oportunidade de se profissionalizarem com as oficinas permanentes desenvolvidas no espaço do projeto “Linha e Arte: Um Recomeço”.  A ação é uma parceria entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cidadania e Justiça (Seciju), a Arquidiocese de Palmas, através da Ação Social Arquidiocesana de Palmas e a Defensoria Pública Estadual (DPE-TO). 

 

As oficinas são nas terças, quartas e quintas-feiras, das 9h às 11h30 e das 14h às 16h30. O projeto é dividido em três etapas, sendo aulas teóricas, práticas, produção e venda. Nas aulas teóricas elas tiveram a oportunidade de aprender sobre empreendedorismo, autoestima no trabalho, autoconhecimento e reflexão sobre a volta ao mercado de trabalho. 

 

Já nas aulas práticas, elas estão aprendendo sobre técnicas de corte e costura na fabricação de vestuário masculino e feminino, como camisetas e vestidos, além da fabricação de peças em cama, mesa e roupas íntimas. Durante a etapa de produção e vendas, as reeducandas poderão produzir as peças na unidade e vendê-las em feiras itinerantes, bazares permanentes ou sob encomenda. 

 

Além de profissionalizar-se, 30% do lucro com as vendas das peças produzidas por essas mulheres retornarão para elas e, os outros 70% serão investidos para a compra de matéria prima como tecidos, linhas e manutenção do maquinário de costura do projeto. Na etapa de produção e venda, a mulher privada de liberdade também pode ter o direito de ter sua pena reduzida, conforme decisão judicial.


 

Para Amilson Rodrigues Silva, diácono da Ação Social Arquidiocesana de Palmas, a importância do projeto Linha e Arte: Um Recomeço se dá na contribuição para melhorar a autoestima e profissionalizar essas mulheres. “O projeto mostra outro caminho para a ressocialização dessas mulheres, onde elas podem se autoconhecer, se valorizarem, contribuindo para a redução da pena e geração de renda para elas”, disse. 


 

De acordo com Valcelir Borges, diretor de Políticas e Projetos de Educação do Sistema Prisional da Secretaria de Cidadania e Justiça, o projeto “Linha e Arte: Um Recomeço” tem objetivo de dar as presas e egressas a oportunidade de conhecer técnicas e desenvolver habilidades, através do corte e costura. “Trabalho e renda são gerados para que lhes permitam a inserção eficaz na sociedade após o cumprimento da pena”, afirmou o diretor. 


 

Projeto 

Resultado de um Acordo de Cooperação Técnica, assinado em fevereiro deste ano entre o Governo do Estado, por meio da Seciju, a Ação Social Arquidiocesana de Palmas e a DPE-TO, o projeto “Linha e Arte: Um Recomeço” está sob os cuidados da Diretoria de Políticas e Projetos de Educação para o Sistema Prisional da secretaria, e conta com equipamentos e insumos para o desempenho das atividades como as máquinas de costura.

 

O local da unidade em que o curso ocorrerá foi reformado para que as mulheres privadas de liberdade possam aprender com mais conforto. Ao final da capacitação profissionalizante as mulheres também receberão um certificado de conclusão. 

 

 

(Informações da Ascom Cidadania e Justiça)