Palmas, Tocantins -
Praias do Tocantins

Municípios tem menos de 15 dias para solicitar autorizações da Temporada de Praia

Conforme o Naturatins, até o momento apenas, 5 municípios encaminharam solicitação de autorização; outros 62 municípios ainda são aguardados
- Atualizada em
62 municípios ainda são aguardados pelo Instituto Foto: Aldemar Ribeiro

Os gestores municipais têm até o próximo dia 1º de junho para realizarem a entrega da documentação e protocolo do processo ao Naturatins para a solicitação das autorizações que asseguram a realização de Temporada de Praia Oficial 2017, nos municípios do Tocantins. As praias temporárias necessitam renovar suas autorizações todo ano e os gestores, que realizam temporadas em praias permanentes, precisam estar atentos à validade de suas autorizações pois expiram a cada 4 anos.

 

Conforme o Naturatins, até o momento apenas, 5 municípios encaminharam solicitação de autorização para funcionamento na temporada, sendo 1 praia permanente e 4 temporárias, dos municípios de Araguanã, São Félix do Tocantins, Couto Magalhães, Carrasco Bonito e Juarina. Além de outras duas praias permanentes, Ilha Verde do município de Araguanã e Tartaruga do município de Peixe, que confirmaram a vigência de suas licenças. Outros 62 municípios ainda são aguardados pelo Instituto.

 

Este ano o Naturatins enviou notificações via ofício a 68 municípios tocantinenses, informando a respeito do prazo para o protocolo da solicitação da autorização ambiental junto ao órgão. Após o encerramento da etapa de análise dos processos, o Naturatins vai disponibilizar para consulta do público a lista de praias ambientalmente autorizadas para o funcionamento na temporada deste ano. No site do Naturatins os interessados encontram no lado direito da tela o banner “Licenciamento Ambiental”, basta clicar que estarão disponíveis todas as informações, o manual de procedimentos e a lista de documentos necessários.

 

O superintendente de Gestão Ambiental do Naturatins, Natal César Alves de Castro, esclarece que não será possível haver prorrogação. “A análise desse tipo de processo demanda a verificação da viabilidade do local e a avaliação da situação em que se encontra o estado de conservação dos recursos naturais onde se pretende promover instalações. Isso demanda tempo e é o que garante, a partir da autorização, que haja o apoio das equipes do Corpo de Bombeiros. Em paralelo, esse documento facilita a adesão de emendas parlamentares que auxiliam os municípios na estruturação e organização da temporada”.

 

A diretora de Proteção e Qualidade Ambiental do Naturatins, Caroline Bueto, fala da fiscalização das praias e acampamentos banhados por rios estaduais e federais. “A partir do dia 1º de julho a etapa de análise das licenças estarão encerradas, as equipes de fiscalização vão intensificar as operações para coibição de crimes ambientais; além de blitz educativas nos acessos as praias, visitas aos acampamentos, para orientações de boas práticas ambientais. Os gestores municipais precisam estar atentos às documentações exigidas para as autorizações de instalações de praias as margens de rios estaduais e federais, sendo esses necessários a autorização do SPU (Superintendência do Patrimônio da União)”, lembra diretora.

 

Ano passado, o turismo nas praias de água doce tocantinense reuniu em média, mais de 2.200 pessoas, a cada fim de semana da temporada, nos oito municípios mais visitados. Apesar do destaque nos acessos nas areias de Tocantinópolis, Araguaína, Araguatins, Lagoa da Confusão, Gurupi, Goiatins e Pedro Afonso, todos os outros municípios registraram movimento significativo.  Na época a base de dados do Naturatins alcançou o registro de 89 praias em seu sistema e destas, 62 receberam a autorização, em 52 municípios, o que equivalente a 69,66% das áreas recreativas cadastradas, com autorizações ambientais regularizadas no Instituto.

 

(Com informações da Ascom/Naturatins)