Palmas, Tocantins -

Estado


Em Palmas
2.481 visualizações

Organizações divulgam carta defendendo lockdown por 15 dias e adoção de mais medidas

As Organizações da Sociedade Civil cobram lockdown por 15 dias em Palmas e em cidades vizinhas, além de outras medidas como forma de proteção da sociedade em geral
- Atualizada em
Descrição: Palmas - TO. Divulgação/Arquivo Adtur

Organizações da Sociedade Civil divulgaram carta aberta aos gestores de Saúde do Tocantins nesta terça-feira, 2, para cobrar proteção da sociedade em geral e de profissionais de saúde no enfrentamento à pandemia de Covid-19. As 26 organizações defendem o lockdown, por 15 dias, com fechamento de todos os comércios e serviços não essenciais, em Palmas e em cidades vizinhas.

 

Dentre outras cobranças, estão: repensar o retorno às aulas presenciais enquanto não houver ampla imunização; divulgação qualificada sobre ações de enfrentamento à pandemia pelos gestores de saúde; ampliar com urgência o acesso da população à vacinação, especialmente profissionais de saúde, inclusive os que não se encontram na linha de frente, pessoas com comorbidades, estudantes e professores e proteção às populações mais vulneráveis. Confira aqui a carta aberta aos gestores de Saúde do Tocantins na íntegra.

 

A carta defende a adoção das medidas justificando a "comprovação por laboratório da circulação da variante Brasil P.1 em Palmas; o grande aumento de casos, internações e óbitos pela doença; a situação de superlotação das UPAs, dos hospitais públicos e privados de Palmas, à beira do colapso, e a situação de exaustão e adoecimento das equipes de saúde envolvidas com a assistência aos doentes".

 

As organizações também reforçam que o enfrentamento à pandemia exige esforços coordenados da "iniciativa privada e sociedade, gerando redes de solidariedade e apoio social mútuo, além do reforço e defesa do SUS enquanto sistema de saúde público".

 

Dados do boletim epidemiológico desta terça-feira, 2, apontam que Palmas contabiliza 28.640 casos, 2.943 pessoas com Covid-19 em isolamento, além de 267 óbitos.