Palmas, Tocantins -

Estado


Coronavírus em Palmas
5.611 visualizações

Paciente 1, advogada vence sintomas e recebe alta após 15 dias de tratamento da Covid

15 dias após se isolar dentro de casa, a advogada Kellen Pedreira elimina sintomas, e recebe alta do tratamento da Covid-19 em Palmas.Ela foi o primeiro caso confirmado no Tocantins.
- Atualizada em
Descrição: Advogada Kellen Pedreira teve alta após tratamento da Covid 19 Divulgação

A advogada Kellen Pedreira, 44 anos,  concluiu ontem, quinta-feira, 26, os 14 dias de isolamento que se impôs desde que começou a sentir os sintomas da Covid-19, doença que acomete os contaminados pelo coronavírus. Nesta sexta-feira, 27 de março, sem nenhuma sintomatologia associada à doença, ela recebeu alta por parte do profissional que vinha acompanhando seu quadro. “Estou curada, e de alta, em nome de Jesus”, disse ela numa entrevista via WhatsApp ao T1 Noticias.

 

Kellen Pedreira viajou para Fortaleza-CE no dia  4 de março, e lá permaneceu até o dia 7. No retorno da viagem não sentiu nada, mas no dia 12 de madrugada ela começou a sentir dores fortes pelo corpo, dor de cabeça e calafrios. Conversando com a irmã, Marina Pedreira, que é médica, recebeu a orientação para se isolar pois o quadro era sugestivo de várias doenças: gripe, dengue, chikungunya ou coronavírus.

 

“Minha irmã me orientou a me isolar inclusive da minha família, pois papai é idoso e não poderia ter contato comigo. Este isolamento foi fundamental, pois depois meu marido e meu filho testaram também com resultado negativo”, conta ela.

 

Durante todo o período de isolamento, Kellen lavou os próprios pratos e talheres e montou praticamente uma cozinha dentro do quarto. Não devolveu o lixo produzido e aguardou o resultado. “Do dia 12 ao dia 18 perdi o olfato, que é bem comum, e tive pneumonia”, conta ela. Ela lembra que ficou mole, como uma pessoa gripada, mas não teve tosse. No dia 18, saiu o resultado positivo da Covid.

 

 

Apoio da família, amigos e acompanhamento completo da Semus

 

Três profissionais médicos acompanharam o tratamento de Kellen Pedreira. “Minha irmã Mariana foi a primeira a me ouvir e me aconselhar. Me tratei com o doutor Ricardo Peres e meu sobrinho, doutor Ronan também acompanhou meu caso”, revela a advogada, que é conselheira federal da OAB.

 

Seu grupo de amigos foi o primeiro a saber, pois Kellen revelou no grupo de WhatsApp da Ordem que havia testado positivo para coronavirus. “Não posso esquecer também o apoio da equipe da Prefeitura”, relembra, “me ligavam todos os dias, fizeram os exames na minha família, monitorando 24 horas por dia através de uma médica”. Da Ordem, conta Kellen, ela recebeu total apoio durante o período da doença. "O presidente, Dr. Gedeon ligava todos os dias. Os colegas também foram muito carinhosos", resume.

 

Sobre o isolamento, ela conta que desde o dia 12, seu quarto foi totalmente fechado. “Meu quarto virou cozinha, virou tudo. Meu marido passou a dormir na sala esse tempo todo. E aqui dentro do meu quarto tem uma janela de um escritório, paralelo. Eu recebia comida pela janela. Tudo que eu recebia eu não devolvia. Eu lavava tudo no banheiro, jogava o lixo num saco e deixei o lixo dentro do quarto. Hoje que embalei tudo em outra embalagem e jogamos tudo fora”, relata.

 

A advogada tem uma filha de 11 anos que ficou bem abalada com o quadro da mãe. “Todo dia eu fazia um facetime. Não deixei que ninguém tivesse contato comigo desde o dia 12. Tanto é que meus filhos ( são dois) e meu marido testaram negativo.

 

 

Teste positivo abalou estado emocional e psicológico

 

Durante todo o tratamento a que se submeteu, a advogada relata que o pior momento foi quando recebeu o resultado positivo para a Covid-19, já no sétimo dia do isolamento. “Me abalou muito, o emocional e o psicológico. Neste dia aumentaram as dores no peito e fiz a tomografia, por que o raio-x não mostra”, relata. A tomografia acusou a pneumonia, e o médico entrou com antibiótico e novalgina. Com dois dias de medicação, Kellen Pedreira começou a reagir.

 

“Graças a Deus ontem eu tive alta. Fiz meu exame de sangue, deu ok, tudo perfeitinho e eu já estou de alta. Eu não preciso de reteste, pois segundo o Ministério da Saúde, a reação depois de 15 dias, dependendo de como o paciente está não preisa, mas eu fiz. Pra mim, para o meu emocional, para a minha família e também para a sociedade entendeu?”, declara ela. Ao sair do período mais crítico e com o fim do isolamento ela agradece ao marido e aos filhos, além dos irmãos e dos pais. "Meu marido foi um anjo. Ele foi quem aguentou a barra, cuidou de mim, fazia a comida, cuidou dos meninos, da casa, de tudo enfim. Só tenho a agradecer", resume.

 

O resultado ainda não saiu, mas o quadro clínico demonstra que Kellen venceu o coronavírus. Um alento para todos que tem a doença, ou suspeitam estar com o vírus. Com tratamento correto e isolamento, muitos infectados podem superar a doença.