Palmas, Tocantins -

Estado


Sondagem da Fieto
384 visualizações

Pesquisa aponta que carga tributária é o maior problema para indústria do TO

Carga tributária aparece como o principal problema para indústria tocantinense em pesquisa da FIETO. Pesquisas estão disponíveis no site da FIETO www.fieto.com.br (link Estudos e Pesquisas)
- Atualizada em
Descrição: Elevada Carga Tributária continua sendo problema Foto: Divulgação

A Elevada Carga Tributária continua sendo o principal problema enfrentado pelas indústrias do Tocantins, neste segundo trimestre de 2016, sendo mencionada por 56,4 % das empresas respondentes da pesquisa Sondagem Industrial realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) e Confederação Nacional da Indústria (CNI).

 

A Inadimplência dos Clientes também continua sendo uma dor de cabeça para os empresários: o entrave foi citado por 43,6% dos 55 empresários da amostra. EO terceiro problema mais citado foi o Alto Custo de Energia (30,9%).

 

Conforme a pesquisa, o Nível de Produção Industrial subiu de 40,2% para 48,1% o que mostra um crescimento de 7,9% do 1º para o 2º trimestre. O Número de Empregados das Indústrias também saltou de 38,3% para 46,1%, um incremento de 7,8%.

 

Em relação a Expectativa da Quantidade Exportada a pesquisa deste trimestre registrou 45,5 pontos, o que representa uma queda de mais de 18 pontos em relação ao trimestre passado (63,9). Em relação ao mesmo período de 2015, quando o indicador apresentava 63,9 pontos, a queda é de 24,3 pontos.

 

Ainda segundo a Sondagem Industrial, devido ao longo período de crise econômica e política que o Brasil enfrenta a confiança do empresário vem diminuindo. O indicador de Intenção de Investimento chegou a 28,7 pontos no 2º trimestre mostrando a falta de vontade dos empresários em investir em suas próprias empresas. Este indicador teve uma queda de 32,6 pontos desde outubro de 2014, sendo este o menor índice registrado.

 

Os indicadores das sondagens são apurados por meio de respostas a questionários online de empresários industriais selecionados pela CNI e mobilizados pelas federações de indústrias nos estados. São avaliados fatores como expectativas de investimentos nos próximos seis meses, estoques das empresas, condições financeiras, principais problemas enfrentados, condições gerais da economia, utilização da capacidade instalada, entre outros. Os indicadores das pesquisas variam de 0 a 100 pontos. Valores maiores que 50 indicam expectativas de crescimento e abaixo disso pessimismo.