Palmas, Tocantins -
Comunidade Quilombola
748 visualizações

Prefeito garante que balsa foi entregue há pelo menos 30 dias

DPE denunciou que comunidade quilombola do Jalapão estaria ilhada devido à falta de ponte e a balsa estaria em risco de afundar; Prefeito de Mateiros garantiu que entregou nova balsa há 30 dias
- Atualizada em
Segundo DPE, travessia seria feita por balsa precária; Prefeito diz que "não" Divulgação/DPE-TO

O prefeito do município de Mateiros, o Pastor João Martins Neto (PTN) entrou em contato com a redação do T1 Notícias no final da tarde desta quarta-feira, 11, e afirmou que a denúncia feita pela Defensoria Pública Estadual (DPE-TO) de que a comunidade quilombola do Jalapão estaria ilhada é falsa. Segundo o gestor, uma balsa teria sido entregue à comunidade há cerca de 30 dias e que tudo estaria "funcionando perfeitamente".

 

A equipe de reportagem do T1 Notícias questionou a data exata de entrega, o valor utilizado na aquisição da balsa e sobre a operacionalidade do material, mas o gestor não entrou em detalhes. As ligações do T1 não foram atendidas porque ele disse estar em trânsito, numa viagem intermunicipal, e por isso não possuía sinal.

 

Denúncia

 

A Defensoria Pública anunciou que entrou com um pedido de liminar na Justiça contra o Município de Mateiros e o Estado nesta quarta-feira, após denúncia feita pelo presidente da Associação Jalapeira das Comunidades Quilombolas Boa Esperança a respeito da ausência de uma ponte e a dificuldade de acesso da comunidade, que estaria isolada. Segundo o DPE, o presidente da Associação teria informado que “há risco de morte constante das pessoas que fazem uso da balsa, pois podem cair no rio, na travessia”. Segundo Adão, o acesso à balsa está cada vez mais difícil e são permitidas, no máximo, 10 pessoas por vez. “Se tiver muito peso, a balsa começa a afundar, por causa da deterioração dos galões e madeiras com o uso contínuo”, informa.

 

De acordo com as fotos enviadas pelo prefeito, a balsa está em boas condições e difere muito na conservação da balsa presente na foto enviada pela DPE-TO. 

 

A Defensoria propôs Ação Civil Pública com pedido de liminar solicitando reparos na balsa que os moradores já utilizam em condições precárias, em no máximo 15 dias, para garantir o acesso da comunidade ao município de São Félix e às demais regiões. E que se determine que, dentre outras providências, o Estado e o município de Mateiros apresentem projeto e cronograma para a construção de uma ponte de acesso à comunidade Boa Esperança, sobre o Rio Sono.

 

(Com informações da Ascom/DPE-TO)