Palmas, Tocantins -

Estado


Em greve
1.119 visualizações

Professores da UFT rejeitam proposta e fazem protesto nesta terça na Capital

Os professores da UFT decidiram, por unanimidade, rejeitar a proposta de reajuste salarial e reestruturação do plano de carreira feita pelo foverno. Os docentes aguardam agora o resultado de uma audiência marcada para a esta quarta-feira,1º, em Brasí
- Atualizada em

Em assembléia realizada na tarde desta segunda-feira, 30, os professores da Universidade Federal do Tocantins (UFT) decidiram, por unanimidade, pela rejeição da proposta do governo de reajuste salarial e reestruturação do plano de carreira.

De acordo com o professor Marcelo Leineker, do comando local de greve,  agora os docentes aguardam que o governo apresente uma nova proposta que contemple minimamente as reivindicações da categoria.  “Temos uma nova reunião marcada para esta quarta em Brasília. Se o governo não apresentar uma proposta digna, a greve vai continuar”, previu Leineker.

O professor explicou também que a volta ao trabalho não está condicionada apenas à proposta salarial. “A reestruturação do plano de carreiras é fundamental para que os docentes se sintam estimulados a se qualificarem cada vez mais e melhorar a qualidade do ensino”, explicou.

Para Leineker, a melhoria da qualidade do ensino passa também pelas melhorias das condições de trabalhado dos professores e demais servidores das instituições. 

Manifestação de repúdio

Na tarde desta terça-feira, 31, servidores públicos federais em greve fazem uma manifestação de repúdio à falta de disposição do governo em negociar com os grevistas.

A manifestação acontece a partir das 16 horas na Avenida Theotônio Segurado, ao lado do Palácio Araguaia.

O ato reunirá professores e servidores das instituições de ensino superior e servidores federais de outros órgãos como:  Anatel, Funasa, Incra, DNPM, IBGE, MDA e outros órgãos  de Palmas e cidade vizinhas, como Porto Nacional e Paraíso do Tocantins.

 

Notícias sobre:

greve uft ifto marcelo leineker