Palmas, Tocantins -

Estado


Protesto de Servidores
6.068 visualizações

Servidores protestam em frente o Palácio e governo se fecha para negociações

Protesto em frente o Palácio Araguaia reuniu servidores de diversas categorias que cobram pagamento imediato da data-base 2016. Governo não recebeu representantes nem se manifestou sobre greve geral
- Atualizada em
Descrição: Servidores protestam em frente o palácio Foto: T1 Notícias

Na tarde desta terça-feira, 05, os servidores públicos do Estado protestaram em frente o Palácio Araguaia pelo pagamento imediato da data-base de 2016 e dos retroativos de 2015, ameaçando deflagrar uma greve geral de todos os órgãos de serviços públicos caso o governo não apresente uma proposta às solicitações. Nenhum representante do governo recebeu as categorias para conversar.

 

A greve geral anunciada pelo Movimento de União dos Servidores Públicos Civis e Militares do Estado do Tocantins (Musme) está prevista para o dia 09 de agosto, caso até lá, o governo não ceda à pressão dos servidores.

 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins (Sisepe), Cleiton Pinheiro, o protesto é contra o “silêncio do governo” sobre as demandas apresentadas pelos servidores. “Essa concentração de agora a tarde, se dá em razão do silêncio do governo no sentido de não apresentar uma proposta para o pagamento da data-base”, disse o presidente em entrevista ao Portal T1 Notícias.

 

A última alternativa apresentada em maio pelo Comitê Gestor do Governo era de que o retroativo da data-base 2015 fosse parcelado. Na ocasião, o governo alegou que devido as dificuldades financeiras do Estado, não poderia implementar o pagamento da data-base 2016. Os servidores rechaçaram a proposta e o impasse pode culminar em uma greve-geral, como o Musme vem anunciando.

 

Desde então, o governo vem ressaltando que não há possibilidade de o Estado arcar com o pagamento dos benefícios que traria o impacto financeiro de R$ 307 milhões ao ano aos cofres públicos.

 

Sem negociações

Durante o protesto dos servidores nenhum representante do governo se manifestou ou recebeu o movimento dos servidores públicos estaduais para discutir o impasse. Ao T1 Notícias foi informado que o Secretário de Governo e Articulações Políticas, Lyvio Luciano Carneiro, estava reunido com o governador Marcelo Miranda em seu gabinete, no entanto, eles não fizeram nenhuma declaração à imprensa.

 

Greve geral

“Não havendo um posicionamento do governo, nós já estamos deliberando que haverá uma greve geral. Essa deliberação já foi tirada da reunião do Musme e essa greve ocorrerá no dia 09 de agosto. Ou seja, o governador tem até o dia 08 de agosto para poder negociar com as categorias o pagamento da data-base”, ressaltou o presidente do Sisepe.

 

Cleiton Pinheiro destacou que havendo a greve geral dos servidores, diversos serviços essenciais à manutenção do Estado ficarão prejudicados. “A consequência prática vem aí uma série de situações. Primeiro porque é uma greve geral, então vai afetar a saúde, vai afetar a educação, a segurança pública, a parte administrativa do Estado do Tocantins, uma vez que todos os serviços terão interrupção durante o período da greve. E isso traz um prejuízo muito grande para a população e para o próprio Estado, uma vez que o não estando operando, os projetos param”, disse Pinheiro.