Palmas, Tocantins -

Estado


Movimento é lançado em Palmas
3.324 visualizações

Sindicatos e associações divulgarão cronograma de ações para pressionar governo

Categorias lançam o Musme, e falam sobre possibilidade de greve geral. Dia 11 de junho serão realizadas assembleias simultâneas para decidirem cronograma de ações a serem deflagradas
- Atualizada em
Descrição: Sindicatos se unem para reivindicar direitos

Foi lançado na manhã desta quarta-feira, 25, o Movimento de União dos Servidores Civis e Militares do Estado do Tocantins (Musme/TO), no auditório da Assembleia Legislativa (AL), o qual é formado por representantes dos sindicatos e de associações de servidores públicos do estado. Na ocasião ficou decidido a realização de assembleias simultâneas, no dia 11 de junho, para as classes decidiram um cronograma de ações a serem deflagradas em repressão as medidas do governo do estado, a exemplo do atraso do pagamento da data-base, segundo informações do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado Tocantins (Sisepe), Cleiton Pinheiro.

Pinheiro disse que esse é o momento dos dirigentes sindicais mostrarem para a sociedade a união dos servidores, principalmente para o governo “a indignação dos servidores” com o descumprimento de leis que os beneficiam. “Unidos vamos vencer qualquer batalha, não vamos ceder as pressões e muito menos a ingerências política do governo relacionadas aos  nossos direitos”, afirmou Cleiton.  

Já o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Tocantins, Moisemar Marinho, disse que o Musme foi criado com o objetivo de negociar pleitos de interesse coletivo dos servidores, a exemplo da data-base de 2015, que já foi negociada e que o governo quer renegociar, alegando não ter dinheiro para quitar o débito, além de questões relacionadas ao Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (IGPREV). “Essas negociações ficam mais fortalecidas com a união de todos os servidores públicos civis e militares”, considerou Marinho.

Presente no evento, a deputada estadual Luana Ribeiro fez uma analogia a um dos motivos que resultou no afastamento da presidente Dilma Rousseff, ao classificar de ato de improbidade administrativa o fato do governo não ter pago ainda a data-base atrasada aos servidores públicos. “O ato de improbidade administrativa é mais grave que pedaladas fiscais” disse a parlamentar cobrando diálogo do governo com os sindicalistas. “Estou com vocês, apoio a causa de vocês e podem contar comigo”, afirmou Luana aproveitando para dizer que é pré-candidata à Prefeitura de Palmas.

 

As entidades que participaram do lançamento do Musme foram: SINPEF-TO; SINSJUSTO; SINTRAS-TO; SINDILEGIS; SEET; NCST-TO; FASPTO; SISEPE-TO; SINDSEMP-TO; SINDATER-TO; FESEMPRE;CSPB; SICIDETO; SINDIFISCAL-TO; SINDIFATO; SINDIPERITO; SIMED-TO; SETO; SINPOL-TO; SINDJOR-TO; SINDARE-TO; AUDIFISCO;SINFITO; SINTET; CUT TOCANTINS; SINDEFESA-TO; ASSPMETO; AMPTO; ASSECAD; FESSERTO; ABMTO; ASSER-TO; ASFETO; APRA-TO; AFA-TO; ASSAGRO; ASMIR; AOMETO; ASLETO; FEAPOL e SINDISAÚDE (RO). 

 

(Atualizada às 17:02 do dia 25 de maio)