Palmas, Tocantins -

Estado


Sindicancias
869 visualizações

Sisemp acompanha mais de 200 processos abertos pela prefeitura contra servidores

O Sisemp vem acompanhando mais de 200 casos de sindicâncias e processos administrativos abertos contra servidores do município. De acordo com o presidente da entidade, Carlos Augusto, muitas vezes os processos não passam de perseguição contra servido
- Atualizada em
Descrição: Assessores juridicos e presidente Carlos Augusto Divulgação

Nos últimos meses, o Sindicato dos Servidores Municipais de Palmas (Sisemp) vem acompanhando mais de 200 casos de sindicâncias e processos administrativos abertos pela prefeitura contra servidores.

 

De acordo com o presidente da entidade, Carlos Augusto de Oliveira, há casos em que estes processos têm fundamentos. “Em outros casos tratam-se de perseguição e até mesmo assédio moral contra os servidores”, argumentou.

 

Conforme o Sindicato, na maioria das vezes as sindicâncias acabam não comprovando as denúncias contra o servidor. “Muitos deles são acusados de atos que não cometeram e acabam sendo inocentados”, destacou o presidente.

 

Ainda de acordo com o presidente, a entidade tem um corpo jurídico que acompanha todas as fases de processos abertos contra servidores públicos. “Eles são orientados e acompanhados em todas as fases das sindicâncias e dos processos administrativos”, sustentou.

 

Para o presidente da entidade, hoje existem poucos processos que levam à demissão do servidor, se comparados aos anos anteriores. “A assessoria jurídica do Sisemp atua para que seja feito acordo entre os servidores e a administração municipal. Antigamente, o percentual de demissão era alto uma vez que os servidores eram julgados pela comissão de processo administrativo disciplinar, sem ampla defesa”, argumentou.

 

Dados estatísticos

O Portal T1 Notícias solicitou à Prefeitura de Palmas, no dia 27 de agosto, dados estatísticos a respeito dos processos administrativos e sindicâncias abertos contra servidores municipais em 2012, mas a assessoria informou que a solicitação havia sido encaminhada à Procuradoria Geral do Município e que o levantamento demanda prazo. Até a manhã desta terça-feira, 3, as estatísticas não haviam sido informadas.