Palmas, Tocantins -

Estado


Nesta sexta, 18
801 visualizações

TO recebe remessas da CoronaVac e Pfizer e deve ampliar vacinação ao público em geral

O Estado receberá 16.600 doses da CoronaVac e 17.550 doses da Pfizer. Imunizantes serão utilizados para o início de aplicação da D1 e continuação de esquema vacinal com aplicação da D2
- Atualizada em
Mariana Ferreira/Governo do Tocantins

O Tocantins receberá 34.150 doses de vacinas contra a Covid-19 na madrugada desta sexta-feira, 18. Após um período sem o recebimento de novas doses da vacina CoronaVac, devido a atrasos na produção do Instituto Butantan, o Governo do Tocantins receberá 16.600 doses do imunizante. Outra remessa também chegará ao Estado é com 17.550 doses da Pfizer/Biontench.

 

Este quantitativo está delimitado pelo Ministério da Saúde (MS) para continuidade da vacinação da população, com aplicação da 1ª dose e fechamento do esquema vacinal com a 2ֺª aplicação. Os estoques recebidos serão conferidos e distribuídos aos municípios na próxima semana.

 

Os públicos que deverão ser contemplados segue o Plano Nacional de Operacionalização da Covid-19 (PNO), ou seja, pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, trabalhadores da saúde, forças de segurança e salvamento, forças armadas e trabalhadores da educação.  Isso não impede que municípios, que já atingiram a estes públicos ou que não tenham estes públicos, possam dar continuidade aos demais grupos prioritários.

 

A superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Perciliana Bezerra, esclarece que o Estado enviou nota técnica de orientação aos 139 municípios para continuidade da vacinação contra a Covid-19 na população tocantinense. O documento orienta os municípios que tem primeiras doses (D1) em estoque, para seguirem a ampliação da vacinação dos grupos prioritários conforme o PNO, do Ministério da Saúde. “Precisamos otimizar as doses existentes sem fura a lista de prioridades, após a vacinação dos grupos já estabelecidos podemos abrir a vacinação por faixa etária como já orientou o próprio Ministério da Saúde em Nota Técnica nº 717/2021/MS”.

 

A orientação do Estado deixa claro que, ao finalizar os grupos prioritários descritos no PNO, “a vacinação da população em geral será escalonada por faixa etária de forma decrescente, iniciando em 59 anos até os 18 anos, após ser submetida à aprovação nos Conselhos Municipais de Saúde”, reforça Perciliana.