Palmas, Tocantins -
Eleições UFT
666 visualizações

UFT encerra amanhã registro de chapas para a sucessão de Isabel; 2 estão confirmadas

Duas chapas já confirmaram que irão concorrer à reitoria da UFT, que ficou vaga com o falecimento da professora Isabel Auler. Adão Francisco, ex-secretário de Educação fará oposição à Eduardo Bovolato
- Atualizada em
Processo eleitoral pela UFT inicia nesta sexta T1 Notícias

A Universidade Federal do Tocantins (UFT) inicia nesta sexta-feira, 19, o processo eleitoral para a sucessão da reitoria da instituição, que está em vacância em decorrência do falecimento da professora Isabel Auler, no dia 1º de maio.  As inscrições das chapas que concorrerão os cargos de reitor e vice-reitor devem ocorrer amanhã.

 

Duas chapas já confirmaram a participação no pleito. Uma é encabeçada pelo professor Luís Eduardo Bovolato, que hoje ocupa a vice-reitoria e a outra pelo professor Adão Francisco de Oliveira, que é ex-secretário de Estado da Educação.

 

Adão Francisco, em entrevista ao Portal T1 Notícias nesta tarde, disse que sua candidatura foi motivada por um clamor da comunidade acadêmica. “Resolvemos registrar uma chapa preocupados com os rumos da universidade e pela Indisposição das pessoas que estão em volta do professor Bovolato, em dialogar um novo projeto para a UFT”, declarou Adão.

 

Ao T1 Notícias, Eduardo Bovolato disse que Ana Lúcia de Medeiros, diretora do Campus de Palmas, é sua vice na chapa. “É uma situação hoje de caráter excepcional, porque ninguém contava com o falecimento da professora Isabel”, disse o professor.

 

Questionado sobre como será realizada a campanha, que se inicia na próxima segunda-feira, 22, ponderou que “será boca a boca, no contato pessoal nos sete campi da UFT e utilizando as redes sociais”.  

 

Críticas

Adão Francisco não escondeu a oposição ao modelo de gestão de Bovolato. “A UFT hoje vive uma situação de inércia. Qualquer pessoa que esteja do lado de fora visualiza isso. Encontra uma realidade muito triste hoje da universidade, especialmente do campus de Palmas, que é a principal vitrine, a porta de entrada da UFT. Um estado de abandono”, afirmou o professor, que terá como vice em sua chapa a professora Marluce Evangelista Zacariotti.

 

Processo

Aberto pela Comissão Eleitoral Central (CEC) da UFT a partir da publicação do Regimento da Pesquisa Eleitoral, na última quarta-feira, 17, o processo eleitoral garantirá que a chapa eleita conduza a reitoria da universidade de 2017 a 2021.

 

Os interessados em participar da pesquisa eleitoral, que será realizada antes da votação oficial feita pelo Conselho Universitário (Consuni), têm até às 18h desta sexta-feira para protocolar a chapa.

 

A Pesquisa Eleitoral será realizada no dia 09 de junho em todos os Campi da UFT, no qual votarão a comunidade universitária (docentes, discentes e Técnicos Administrativo). Dia 28 junho o resultado da consulta segue para o conselho superior que homologará o resultado da chapa vencedora.

 

De acordo com a Comissão, os nomes das Chapas serão divulgadas logo após o fechamento do prazo de inscrições. 

 

Estatuto

Conforme consta no estatuto da UFT, no artigo 18, “em caso de vacância do cargo de Reitor e ou Vice-reitor, deverá ser organizada nova eleição no prazo máximo de 60 dias, contados da abertura da vaga, sendo que os mandatos dos dirigentes que vierem a ser nomeados serão de 4 anos”.

 

Entenda

O atual processo eleitora pela reitoria da UFT ocorre após o falecimento da professora Isabel Auler, que ocupava o cargo. Reitora desde julho de 2016, Isabel Auler morreu no dia 1 de maio. Ela se recuperava de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que sofreu durante uma viagem ao exterior no início do ano.