Palmas, Tocantins -
Presídios do Tocantins

Umanizzare destaca fase de finalização do cronograma de transição

Diretor jurídico e porta-voz da Umanizzare, André Caires, reafirma que o cronograma vem sendo finalizado da maneira mais transparente e eficiente possível
- Atualizada em
Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota Umanizzare

Administradora em regime de cogestão da Casa de Prisão Provisória de Palmas e da Unidade Barra da Grota, de Araguaína, a Umanizzare reafirmou ontem, 13, que vem cumprindo fielmente o contrato de gestão firmado com o Governo do Tocantins e que a finalização do Cronograma de Transição, documento publicamente firmado com a Secretaria Estadual de Cidadania e Justiça, está ocorrendo dentro do programado.

 

Sobre a recomendação emitida pelo Tribunal de Contas do Estado, na última sexta-feira, 10, e que teria sido motivada pelas declarações da ex-secretária de Cidadania e Justiça, o diretor jurídico e porta-voz da Umanizzare, André Caires, reafirma que o cronograma vem sendo finalizado da maneira mais transparente e eficiente possível.

 

“Toda a equipe técnica da Umanizzare está empenhada desde o primeiro dia em executar da melhor forma o cronograma de transição, especialmente em relação às manutenções preventivas e corretivas, todas em dia e de acordo com o plano coletivamente construído. A única pendência no CPP de Palmas são manutenções de alguns itens nos pavilhões, que só não foram feitas por falta de escolta policial, o que já solicitamos ao novo secretário e, temos certeza, será prontamente atendido”, afirmou Caires.

 

Ainda segundo o porta-voz, a relação entre a Umanizzare e a nova gestão da Secretaria de Cidadania e Justiça tem sido respeitosa e transparente. Segundo ele, as pendências serão resolvidas e o cronograma de transição será finalizado com o devido apoio policial. “Finalizar esta transição da forma mais republicana e de forma mais vantajosa para o conjunto da sociedade é o nosso principal interesse. Temos convicção de que este também é o interesse do Estado”.

 

Entenda

 

A 1ª Relatoria da Corte de Contas do Tribunal de Contas do Tocantins emitiu na sexta-feira, 10, recomendação à Secretaria de Cidadania e Justiça, a respeito do contrato com a Umanizzare. O documento, assinado pelo conselheiro Severiano Costandrade, leva em consideração irregularidades apuradas durante auditoria do TCE nos contratos com a empresa nas duas unidades. Ainda conforme a recomendação, também foram considerados os apontamentos constantes na carta de demissão da então secretária de Cidadania e Justiça, Gleidy Braga, como “a não resolução dos cronogramas estabelecidos em juízo; a não execução de reparos necessários, ou a sua execução de forma errônea; o bloqueio referente ao pagamento de 4 (quatro) milhões de reais da empresa, servindo a glosa para o reparo de danos e falhas apontadas nas mais de 200 páginas dos Relatórios de Fiscalização”.