Palmas, Tocantins -
Certidões regularizadas

Unitins regulariza situação junto ao CAUC e deverá assinar contrato com o Basa

Pendências junto ao CAUC se arrastavam há mais de dois anos e impediam parcerias com aporte de recursos para a universidade
- Atualizada em
Reitor da Unitins, Augusto Rezende Cristian Reurison/Ascom Unitins

A Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) informou nesta quinta-feira, 11, que regularizou todas as pendências de certidões junto ao Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias do Tesouro Nacional, o CAUC, do Ministério da Fazenda. São certidões indispensáveis para assinatura de contratos de novos convênios e parcerias. Algumas estavam pendentes desde 2016, como a do FGTS.

 

O reitor da Unitins, Augusto Rezende, explica que a universidade, professores e pesquisadores sofreram prejuízos nesse período, pois estavam impedidos de assinar contratos referentes a convênios com vinculação de recurso público federal, estadual ou municipal, comprometendo ainda a participação em editais de pesquisa e outros. Com as certidões regularizadas a Unitins viabiliza outras fontes de recursos para suas ações, não ficando totalmente na dependência do Tesouro Estadual.

 

“Foram tantos editais nesse período e a Unitins não pôde participar. Além daqueles editais em que nossos pesquisadores se inscreveram e foram contemplados, mas houve a grande frustração na hora de assinar o contrato e executar o projeto, vendo todo aquele trabalho desenvolvido ser perdido”, comenta o reitor.

 

Agora, com as certidões regularizadas, a Unitins se prepara para a assinatura do contrato junto ao Banco da Amazônia (BASA) com aporte de aproximadamente R$ 100 mil, referente ao projeto “Aspectos ecológicos e manejo de Podocnemis unifilis Troschel, 1848 e Podocnemis expansa Schweigger, 1812 (Reptilia, Testudines, Podocnemidade) na Bacia do Araguaia”, apresentado por professores e pesquisadores da universidade.

 

O projeto foi vencedor no edital do BASA de Seleção Pública de Pesquisa Científica e Tecnológica, Edição 2018, sendo o único selecionado no Tocantins e estando entre os 15 vencedores entre mais de 600 projetos concorrentes. O coordenador é Marcus Vinícius Moreira Barbosa, professor e pesquisador da Unitins.