Palmas, Tocantins -

Falando de Direito

Ver comentários
Marcelo Cordeiro

Marcelo Cordeiro


Colunista do editorial Falando de Direito

3.396 visualizações

FEBEAPA – Festival de besteiras que assola Palmas

- Atualizada em

Sérgio Porto, o Stanislaw Ponte Preta, criou na segunda metade da década de 60 o FEBEAPA – Festival de Besteiras que Assola o País. Proponho agora, no século XXI, a criação do FEBEAPA de Palmas, ou seja, o Festival de Besteiras que Assola Palmas.

Tem aportado na administração pública brasileira, notadamente no Executivo, devidamente legitimados pelo voto popular, um grande número de homens e mulheres especialistas em fazer besteiras, com a devida anuência de nossas excelências, os vereadores e os deputados estaduais.

Nessa semana quero apontar algumas. Mas você pode contribuir enviando as suas para marcelocordeiro.adv@uol.com.br.

Relógio e Jacaré para poucos

O famoso jacaré construído com um monte de pedras empilhadas ao lado do Espaço Cultural, do artista não menos famoso Siron Franco, só pode ser visto por alguns, por aqueles que o sobrevoam de avião ou de helicóptero. Talvez inspirado por esse seleto grupo, os portadores de aviões e helicópteros, está sendo construído na NS 02 um relógio, que a bem da verdade só pode ser visto de cima. Pense bem, pra quê vai servir um relógio feio que ninguém pode ver as horas, em pleno mundo onde todos têm celular e relógio de pulso. É muita besteira.

E mais, a rotatória onde está sendo construído esse tributo ao desperdício de dinheiro público, produz um funil que segrega três pistas em apenas uma. Uma pista é interrompida quando chega na rotatória. Outra pista é de uso exclusivo dos moradores dos edifícios Lago Azul e Park Imperial. Das três, sobra apenas uma pista, para que os simples mortais se amontoem e criem um “salve-se quem puder”. Ao invés da gestão municipal abrir mais uma pista na rotatória, cria um relógio que não serve pra nada e impede num futuro próximo a abertura de mais uma pista. Coisa mal copiada de Curitiba.

E o Cristo? Um monumento ao mau gosto, que não é digno do nome que leva

O Cristo Redentor no Rio de Janeiro só é aceitável por causa do seu contexto histórico. Hoje, ele jamais seria construído novamente. Agora, um Cristo em Palmas é um tributo ao mau gosto que os Tocantinenses e Palmenses não merecem. Isso vai virar uma piada nacional, tipo aquela ideia de se construir uma Torre Eiffel em Palmas.

O tal Cristo será um amontoado de concreto feio em cima de uma serra linda. Essa obra de mau gosto vai estragar a cidade. Tudo isso sem contar o significado que ela trás em si. Palmas e o Tocantins possuem centenas de pontos turísticos maravilhosos que precisam de infraestrutura para serem visitados pelos turistas. Quem já subiu na serra e contemplou o lago e a cidade de Palmas sabe que é uma visão linda. Por que até hoje não fizeram absolutamente nada para tornarem a Serra do Carmo um lugar possível de se visitar e com infraestrutura para tal?

NS 01 (aquela que liga o Hospital Oswaldo Cruz ao Hospital Geral de Palmas)

Essa avenida recém inaugurada, a NS 01, paralela a Avenida Theotônio Segurado, deveria servir para cassar o registro de todos os engenheiros que assinaram esses projetos. Já viram uma curva em cima de uma ponte? Pois é, lá tem. E uma ponte que se transforma em funil? Pois é, essa também é. E as cabeças (tipo cobra de duas-cabeças) da ponte mal remendadas com concreto e mesmo assim com fortíssimas ondulações. Na verdade parece mais uma estrada de fazenda  coberta de piche. E claro, já tem buraco na rotatória. Mas o brasileiro é tão carente, que ainda acha bom e diz que é melhor assim do que nada. Muito bem, enquanto se pensar assim, vamos continuar um país chinfrim, subdesenvolvido. Se continuar nessa marcha, num futuro próximo podemos nos tornar num Maranhão piorado (aquele da governadora Roseana Sarney).

E o IPTU?

Mais uma trapalhada legislativa e jurídica do executivo municipal, e claro, com a aprovação da maioria dos Vereadores de Palmas. Essa do IPTU já virou uma ação judicial e talvez virão outras. Bem, pelos menos a prefeitura de Palmas e os vereadores estão colaborando para entulhar o judiciário com mais ações judiciais.

De novo a TERRA CLEAN

No dia 04 de novembro, do ano passado, escrevi um artigo, podem conferir no site, afirmando que essa licitação não terminaria e que seria prorrogada. Não deu outra. Mais dez milhões de reais no bolso da Terra Clean.

Assim, o eleitor continua firmemente selecionando especialistas em agredir a nossa inteligência com seus atos e com suas explicações estapafúrdias. Os deputados e vereadores que são eleitos pelas coligações de oposições, milagrosamente pulam para o barco daqueles que “esculhambaram” durante a campanha política. E assim nada fazem. Estou sendo injusto, fazem um silêncio ensurdecedor diante desse festival de besteiras.

Dessa forma, sobra espaço para o fortalecimento exagerado do Ministério Público e do Poder Judiciário, o que é péssimo para a democracia.

É isso.


Marcelo Cordeiro é advogado, pós-graduado em administração pública, mestrando em Direito Constitucional pelo IDP, ex-juiz do TRE/TO. Escreve todas as segundas na coluna Falando de Direito.