Palmas, Tocantins -

Geral


Saúde mental
190 visualizações

#FiqueBemEmCasa: Psicólogos e psiquiatras realizam atendimento de forma virtual

Por meio da plataforma de interação virtual, profissionais vão oferecer suporte integrado às pessoas que estão vivendo em situações de crise, principalmente diante da pandemia da Covid-19.
- Atualizada em
Descrição: Imagem ilustrativa Reprodução/Web

O #FiqueBemEmCasa desta terça, 7, aborda a saúde mental das pessoas no período de isolamento social, em razão do coronavírus (Covid-19) O projeto é uma série de matérias com dicas para a população, que poderá contar com psicólogos e médicos especialistas em psiquiatria, que já estão prontos para atender, também de forma virtual, os pacientes e trabalhadores da saúde que possam estar com a saúde mental comprometida. Por meio de uma plataforma de interação virtual, os profissionais vão oferecer um suporte integrado às pessoas que estão vivendo em situações de crise, principalmente neste momento de medo e insegurança devido à pandemia do coronavírus (Covid-19).  

 

A pessoa que estiver precisando de ajuda profissional neste período pode acessar o endereço eletrônico para realizar o cadastro de atendimento. Acessando o link o usuário terá acesso ao formulário, que simultaneamente será enviado ao WhatsApp Web de um profissional especializado que dará início ao atendimento via áudio. Duas linhas telefônicas, sendo elas pelos números 3218-5459 e 3218-5460, ficarão disponíveis na sede da Secretaria de Saúde de Palmas, para que o atendimento também aconteça às pessoas que não têm acesso a internet. Na modalidade home office, o psicólogo e o psiquiatra irão usar o aplicativo para realizar a vídeo chamada, áudio chamada ou mensagem conforme a necessidade de cada paciente.

 

A preceptora da Residência Multiprofissional em Saúde Mental que também é psicóloga da área técnica em Saúde Mental de Palmas, Leny Meire Correa Molinari Carrasco, explica que o suporte será oferecido ao paciente e servidor por meio da escuta qualificada em psicoterapia breve, tendo o acolhimento realizado por uma equipe multiprofissional para avaliar cada caso. Leny lembra que este formato de atendimento se justifica em função das recomendações do Ministério da Saúde, Organização Mundial de Saúde (OMS), secretarias de Saúde e autoridades civis sobre a necessidade de isolamento a fim de evitar o alastramento da pandemia do coronavírus (Covid-19).

 

“Tanto os profissionais que atuam nestas situações quanto os pacientes vítimas da pandemia, seja de forma direta ou indireta, poderão ter sua saúde mental afetada. Os primeiros, por frustração, por se verem em situação única de impotência perante a uma enfermidade sem cura, até o momento, e que contrapõe a formação que recebem que é a de curar. Assim como os pacientes por terem que conviver com a Covid-19 que se revela extremamente ameaçadora, colocando em xeque o ideal de vida e cura”, argumenta a psicóloga, afirmando que a equipe composta por mais de 20 profissionais especialistas em saúde mental oferecerá um atendimento de qualidade, respeitando e valorizando a diversidade humana e cultural.

 

O coordenador técnico da Saúde Mental de Palmas, Daniel Marques dos Santos, conta que a equipe do Projeto será composta por uma psicóloga que coordena todo o grupo, de mais 20 psicólogos, psiquiatras, residentes de Saúde Mental e da categoria da psicologia dos programas de Saúde Coletiva e Saúde da Família, todos integrantes da gestão da Secretaria Municipal de Saúde. “Os profissionais vão ofertar suporte para o servidor e ao paciente, preferencialmente aos diretamente afetados, de forma online em forma de acolhimento, orientação e psicoterapia, bem como a triagem com a equipe multiprofissional para traçar as etapas do atendimento”, pontua.

 

A rede de Saúde de Palmas conta com oito territórios de referência. Assim de um a dois residentes ficarão responsáveis por um deles para organização e manejo das ocorrências, funcionando como técnico de referência e Saúde Mental e assim, com a responsabilidade de regulação dos atendimentos, sempre com a supervisão direta da coordenadora do Projeto que é a preceptora da Residência Multiprofissional em Saúde Mental.

 

 O contato  

 

Cada profissional ao entrar em contato com o paciente fará sua identificação dizendo o seu nome, matrícula e pedirá a autorização para realizar o acolhimento e a triagem.  Em caso do paciente não aceitar, o profissional irá sugerir que ele entre em contato com a Secretaria Municipal de Saúde pelo telefone 136 ou pelo link.

 

O projeto de atendimento virtual foi elaborado pela área técnica da Saúde Mental ligada à Diretoria de Média e Alta Complexidade, em parceria com a Diretoria de Atenção Primária e a Residência em Saúde da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) e Conselho Regional de Psicologia.