Palmas, Tocantins -

Geral


Até 31 de outubro
65 visualizações

Inscrições abertas para o 2º Prêmio Ciência & Mulher

Edital dispõe de prêmios para alunos do Ensino Médio e de Graduação, cujas pesquisas de iniciação científica demonstrem criatividade, boa aplicação do método científico e potencial de contribuição.
- Atualizada em
Divulgação/Ascom SBPC

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) lançou o edital Prêmio “Carolina Bori Ciência & Mulher”, que premiará a categoria “Meninas na Ciência”, dedicada às jovens e futuras cientistas do País. O Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt) apoia, iniciativa e contribui com a divulgação do edital a fim de popularizar a ciência e motivar a participação dos estudantes de ensino médio e da graduação neste edital.

 

A premiação será concedida a uma estudante do Ensino Médio e de Graduação, cujas pesquisas de iniciação científica demonstrem criatividade, boa aplicação do método científico e potencial de contribuição com a ciência no futuro. Também serão consideradas estudantes com desempenho destacado em atividades científicas como feiras, olimpíadas científicas e atividades similares.

 

Para o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt), Márcio Silveira, “o Prêmio “Carolina Bori Ciência & Mulher”, objetiva a valorização, além de favorecer e dar visibilidade às mulheres cientistas brasileiras e despertarem o interesse das meninas pela carreira científica. Desta forma o Tocantins tem grande potencial para participar, pois tem muita gente talentosa nas escolas estaduais e na graduação”, explica.

 

As indicações para a categoria “Meninas na Ciência” serão feitas via Pró-Reitorias de Pesquisa, Secretarias de Educação e organizadores de olimpíadas e feiras científicas de âmbito nacional e deverão ser devidamente justificadas, com informações como mini-biografia da candidata, currículo atualizado na Plataforma Lattes (http://lattes.cnpq.br) e uma carta de recomendação fundamentada em evidências que justifiquem o prêmio. Além disso, a candidata deverá encaminhar o projeto/atividade científica realizada, explicando o desenvolvimento, os objetivos atingidos e sua relevância. A documentação deverá enfatizar o que foi realizado pela própria estudante, identificando as atividades desenvolvidas com ajuda da(o) professor(a) orientador/orientadora.

 

Se a indicação for pelo desempenho destacado em atividades científicas, como feiras, olimpíadas científicas, divulgação científica, a documentação deverá comprovar a participação e o desempenho na referida atividade.

 

As inscrições podem ser feitas até 31 de outubro de 2020. As indicações, com a devida documentação, deverão ser enviadas à SBPC, por meio eletrônico, ao e-mail premiocarolinabori@sbpcnet.org.br. O anúncio das premiadas será feito no dia 15 de janeiro de 2021. O edital está disponível em: https://fapt.to.gov.br/editais/editais-externos/.

 

Homenagem às cientistas brasileiras

 

Criado em 2019, o Prêmio “Carolina Bori Ciência & Mulher” é uma homenagem da SBPC às cientistas brasileiras destacadas e às futuras cientistas brasileiras de notório talento, que leva o nome de sua primeira presidente mulher, Carolina Martuscelli Bori. A SBPC – que já teve três mulheres presidentes e hoje a maioria da diretoria é feminina – criou essa premiação por acreditar que homenagear as cientistas brasileiras e incentivar as meninas a se interessarem por este universo é uma ação marcante de sua trajetória histórica, na qual tantas mulheres foram protagonistas do trabalho e de anos de lutas e sucesso da maior sociedade científica do País e da América do Sul.

 

A cerimônia de premiação ocorre anualmente, alternando duas categorias – “Mulheres Cientistas” e “Meninas na Ciência” -, durante o Simpósio Mulheres e Meninas na Ciência, a ser realizado em 11 de fevereiro de 2021, em celebração ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, instituído pela Unesco.

 

Na primeira edição, realizada no início deste ano, Helena Bonciani Nader, professora-titular da Universidade Federal de São Paulo (EPM-Unifesp), foi escolhida para receber o prêmio na categoria “Mulheres Cientistas”, e Alice Rangel de Paiva Abreu, professora emérita da UFRJ, recebeu a “Menção Honrosa”.