Palmas, Tocantins -

Geral


396 visualizações

O caso da Guarda Metropolitana

...
- Atualizada em

Entre as várias denúncias que começaram a chegar ao Blog da Tum no final do mês de agosto, uma me chamou atenção, e mereceu apuração prioritária, por se tratar de fato de conhecimento público, divulgado amplamente pelo Ministério Público Federal. É o caso da fraude na aquisição de uniformes da Guarda Metropolitana de Palmas, cujo modo de agir do grupo que praticou a fraude foi constatado e motivou denúncia bem fundamentada por parte do MPF em agosto.

A notícia completa de como foi o caso está no site do MPF, neste link MPF apura fraude em licitação

O caso é que o comandante da Guarda Metropolitana, agindo à moda do avestruz, que enterra o pescoço na areia e desconhece o que se passa à sua volta, decidiu nomear na presidência da comissão de Orçamento de 2009, justamente o inspetor indiciado por fraude pelo Ministério Público Federal.

Á nossa equipe que o procurou ontem para ouvir suas explicações sobre o caso, o comandante negou a cópia da portaria de nomeação publicada no boletim da guarda-metropolitana. Mas não negou sua existência, que o repórter pode comprovar com o documento em mãos.

A presunção de inocência -  que é o argumento usado para manter o indiciado por fraude em licitação para compra de uniformes na presidência de uma comissão de Orçamento - beira a insensatez. Concordo que alguém só pode ser considerado culpado depois do processo julgado. Ocorre que não se coloca um suspeito à frente de um trabalho diretamente ligado à acusação que lhe é imputada.

Manda a ética e a prudência -  que está em falta neste e em outros casos na Prefeitura de Palmas - que ninguém sobre quem pesa acusação de corrupção ativa ou passiva, responda por função pública ligada á denúncia até que todos os fatos sejam esclarecidos.

Fosse em qualquer outra gestão pública, que não a petista, e o PT estaria bradando contra o ato do Comandante da Guarda Metropolitana.O que está ficando claro para os integrantes da guarda,na atitude do seu comandante, é o clima de impunidade.

Roberta Tum

roberta@blogdatum.com