Palmas, Tocantins -

Ação Parlamentar


Imunização contra Covid-19
143 visualizações

Claudia Lelis requer que Governo prepare mutirão para não perder doses da Janssen

“Peço que o Governo do Estado faça a gestão para que essas doses sejam aplicadas nestes grupos prioritários, porque como estão chegando perto da data de vencimento", destacou a deputada
- Atualizada em
Descrição: Deputada estadual Claudia Lelis (PV) Divulgação

A deputada estadual Claudia Lelis (PV) entrou com requerimento em regime de urgência para que o Governo do Estado elabore um plano emergencial de vacinação, incluindo principalmente grupos prioritários como lactantes, técnicos ambientais, motoristas de ônibus e fiscais ambientais, para receber doses da vacina da Janssen. 

 

Estas vacinas chegam ao Brasil esta semana e serão destinadas exclusivamente para as Capitais brasileiras. São cerca de 2,8 milhões de doses de vacina da Janssen que serão recebidas pelo Brasil e estão perto da data de validade, e precisam ser aplicadas rapidamente. 

 

“Peço que o Governo do Estado faça a gestão para que essas doses sejam aplicadas nestes grupos prioritários, porque como estão chegando perto da data de vencimento, o ideal é a aplicação estratégica e rápida pelo Governo do Estado. O ideal é um mutirão de vacinação e que os grupos de profissionais que estão na linha de frente, trabalhando todos os dias sejam vacinados”, afirmou Claudia Lelis. 

 

A parlamentar também fez questão de destacar, “defendo vacina para todos, mas enquanto não temos doses suficientes que possamos dar prioridade a grupos que estão na linha de frente”, reforçou. 

 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, já adiantou que o Brasil conseguiu antecipar junto à Janssen, farmacêutica da Johnson & Johnson, o envio ao país de 3 milhões de doses do imunizante desenvolvido pela empresa contra a Covid-19. 

 

A previsão é que as doses cheguem até sexta-feira,11, no Brasil. 

 

“Temos que nos adiantar e fazer um plano de vacinação estratégica, rápido e eficaz para não perdemos nenhuma dose dessa vacina”, defendeu Lelis.