Palmas, Tocantins -

Cidades


Luto em Palmas
2.027 visualizações

Após luta contra a Covid-19, tenente-coronel não resiste e perde a vida para a doença

Cleomenes Benvindo de Oliveira havia conseguido na sexta, 9, uma UTI regulada pelo seu plano de saúde para seguir com o tratamento, mas não resistiu às complicações da doença
- Atualizada em
Divulgação

O tenente-coronel da Polícia Militar do Tocantins (PM-TO), Cleomenes Benvindo de Oliveira, internado desde o dia 25 de março para tratamento da Covid-19, não resistiu à luta contra a doença e perdeu a vida neste domingo, 11, aos 61 anos.

 

Cleomenes, que até então estava internado em um leito custeado pela família, havia conseguido um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Oswaldo Cruz, em Palmas, sob regulação do plano de saúde Servir na sexta-feira, 9, data em que foi transferido para seguir com o tratamento.

 

Antes de conseguirem o leito regulado para o tenente-coronel, a família realizou, por meio de redes sociais, uma mobilização para conseguir os recursos necessários para custear a manutenção da internação, que já custava R$ 201.249,35. Cleomenes estava internado em uma unidade privada porque foi conduzido a um hospital, o único que tinha vaga na data, em que o seu plano de Saúde, o Servir, não é conveniado e, por esta razão, a família teve que contratar um empréstimo de R$ 100 mil para interná-lo.

 

O falecimento de Cleomenes causou grande comoção entre familiares, amigos e entre todos que torciam por sua recuperação após a campanha amplamente divulgada pela família.

 

Confira a nota de pesar da Polícia Militar do Tocantins:

 

A Polícia Militar do Estado do Tocantins, por meio do comandante-geral, coronel PM Júlio Manoel da Silva Neto e toda a família PMTO, principalmente do 5º Batalhão, informa com tristeza o falecimento do Tenente Coronel RR Cleomenes Benvindo de Oliveira, aos 61 anos, ocorrido na manhã deste domingo, 11, em decorrência de complicações da COVID-19, em Palmas.

 

O TC Cleomenes ingressou na PMTO em 01 de agosto de 2000 e foi para a reserva em outubro de 2019. O comandante geral da PMTO manifesta profundo pesar por mais essa perda de um militar pioneiro da instituição, tendo dedicado sua vida ao cumprimento do dever e partindo tão precocemente após ingressar na reserva. O policial militar era divorciado e deixou duas filhas. 

 

Solidarizamos e rogamos que Deus, em sua infinita bondade, conforte os corações dos familiares e amigos neste momento de profunda dor.