Palmas, Tocantins -

Cidades


Em Palmas
578 visualizações

Polícia recupera R$ 40 mil desviados de agência bancária encontrados em residência

Apenas parte do valor desviado foi encontrado na residência do estagiário, pois conforme investigações da polícia, o prejuízo inicial chega a R$ 170 mil, mas o montante pode ser bem maior
- Atualizada em
Mayky Araújo/TV Anhanguera

Na tarde de terça-feira, 27, a Polícia Civil do Tocantins, por meio da 1ª Delegacia de Palmas, em ação conjunta com policiais do Sistema Integrado de Operações (SIOP), efetuou a apreensão de cerca de R$ 40 mil, que estavam na residência de um homem de 21 anos, o qual foi detido e conduzido até a sede da 1ª DP, por suspeita de crimes de estelionato e falsificação de documento público.


Conforme os delegados Ricardo Real e Túlio Pereira, as investigações foram iniciadas há algumas semanas, pois havia a suspeita de que o indivíduo, que é estagiário de uma empresa que presta serviços jurídicos a instituições financeiras, estaria desviando dinheiro de uma agência bancária em Palmas.

De acordo com as investigações, o referido estagiário estaria, em tese, falsificando documentos referente ao pagamento de emolumentos cartorários para obter valores ilícitos junto à instituição. Restou apurado ainda que ele vinha praticando as atividades criminosas há cerca de um ano e pode ter obtido aproximadamente R$ 170 mil.


A atuação teve como objetivo principal evitar que o estagiário obtivesse êxito ao retirar valores. “No momento em que o suspeito deixava a agência bancária, fizemos a abordagem e o conduzimos até a sede da 1ª DP, onde ele acabou confessando a prática delituosa”, disse o diretor do SIOP, delegado Ricardo Real.

 

Outra equipe de policiais civis foi até a residência do suspeito, onde foram localizados e apreendidos cerca de R$ 40 mil, dinheiro que o jovem confessou ser produto de desvio do banco.


O delegado-chefe da 1ª DP, Túlio Pereira Motta esclareceu que as investigações serão aprofundadas, no sentido de individualizar as ações criminosas do estagiário, que aguardará as apurações em liberdade. “Ao final das investigações, o indivíduo pode ser indicado pela prática dos crimes de estelionato e falsificação de documento público e crime contra a fé pública”, concluiu o delegado.