Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia


Serpente da Serra
523 visualizações

Operação da Polícia ocorre em Natividade e Chapada da Natividade contra o tráfico

Coordenada pela DENARC, operação busca cumprir 10 mandados de busca e apreensão em pontos identificados como sendo do narcotráfico.
- Atualizada em
Dennis Tavares

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 1ª Divisão Especializada de Repressão a Narcóticos (1ª DENARC), deflagrou na manhã desta sexta-feira, 3, operação com o objetivo de reprimir e desarticular uma organização local voltada à narcotraficância nos municípios de Natividade e Chapada da Natividade, na região Sudeste do Estado. A operação “Serpente da Serra” deu cumprimento a 10 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça.

 

Conforme o coordenador da operação, delegado Enio Walcácer, por meio do cumprimento de mandados de busca e apreensão, a operação busca a integração entre forças policiais na repressão do tráfico de drogas local e intermunicipal e visa o controle e a redução em níveis toleráveis dos fenômenos criminais decorrentes do tráfico e do uso de drogas, como crimes patrimoniais e crimes contra a vida.

 

O delegado explica que a operação foi organizada para atingir pontos identificados como sendo de traficantes das cidades alvos. “Entendemos que o tráfico de drogas é um crime do qual decorrem diversos outros. O viciado que comete pequenos crimes patrimoniais para manter o vício, o traficante que recebe e revende esses objetos, a disputa territorial por traficantes e os crimes violentos contra a vida na cobrança de dívida são alguns exemplos”, ressaltou Enio Walcácer.

 

Resultado

 

Como resultado, as equipes policiais localizaram e apreenderam cerca de R$ 2.500 em espécie proveniente do tráfico de drogas, balanças de precisão, vários aparelhos celulares que continham informações sobre o tráfico de drogas, 11 munições de calibre 22, 18 munições de calibre 38, várias porções de maconha, bem como centenas de pepitas de ouro, em estado bruto, que estão avaliadas em mais de R$ 50 mil reais.

 

Durante o cumprimento de uma das ordens judiciais, os policiais civis encontraram várias porções de maconha, na posse de um homem de 30 anos de idade, o qual foi conduzido até à sede da 98º DP, onde foi autuado por tráfico de drogas e, em seguida, encaminhado para a Casa de Prisão Provisória de Dianópolis, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário. Além disso, uma mulher também foi autuada por posse de drogas para consumo.

 

Ainda de acordo com o delegado Enio, existe a suspeita de que as pedras preciosas eram utilizadas para lavar o dinheiro do tráfico de drogas. Também no decorrer da operação serpente da Serra, oito pessoas foram conduzidas até a sede da 98ª DPC, para averiguações, sendo que um homem, em cuja posse, a Polícia Civil encontrou várias porções de substância entorpecente foi indiciado pelo crime de tráfico de drogas.

 

Além de cumprir os mandados, a operação deflagrada nesta sexta-feira, também teve a função de dar uma resposta social e trazer mais pacificação e maior sensação de segurança à comunidade local, uma vez que o tráfico de drogas fomenta a prática de vários outros tipos de crimes, sobretudo, patrimoniais, ressaltou o delegado.

 

O Delegado disse ainda que a ação também buscou à localização de produtos ilícitos, que em sua grande maioria, são de origem criminosa e que são trocados por substâncias entorpecentes, bem como coletar informações sobre a rede de tráfico local que possibilite o aprofundamento das investigações da Polícia Civil.

 

Para o delegado titular da 98º Delegacia de Polícia Civil de Natividade, Joadelson Albuquerque, a operação trará maior tranquilidade para a cidade, pois espera-se com ela à redução do número de crimes. Segundo o delegado “Operações deste tipo, em que há a integração entre forças e a utilização dos grupos especiais da Capital, mostram ao cidadão do interior do Estado a preocupação e atuação das forças de segurança no combate ao crime em todos os locais do nosso Tocantins”.

 

Nome da Operação

 

O nome da operação é baseado em uma lenda de Natividade. Conta-se que a cabeça de uma serpente está enterrada na Lagoa Encantada e o rabo na Igreja Matriz.  Coordenada pela 1ª DENARC, a operação conta com o suporte de unidades da Segurança Pública, como o Grupo Operacional Tático Especial (GOTE), o Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER), e de forças policiais da região, como a 8ª Regional da Polícia Civil, a 98º Delegacia da Polícia Civil de Natividade e a 97º Delegacia da Polícia Civil de Chapada da Natividade, além do 2ª CIPM de Dianópolis, com um destacamento da Força Tática da Polícia Militar.