Palmas, Tocantins -

Política


Câmara de Palmas
1.853 visualizações

Câmara retoma sessões com denúncia de Janad e reação da base da prefeita

Reabertura das sessões ordinárias no Legislativo da Capital foi marcada por denúncias duras a polarização política entre oposição e base de apoio de Cinthia no Legislativo da Capital
- Atualizada em
Descrição: Sessão da Câmara nesta quarta-feira, 24. Print Screen T1/Vídeo da sessão no Youtube

A Câmara Municipal de Palmas retomou as atividades parlamentares na manhã desta quarta-feira, 24, depois da suspensão estabelecida em 23 de fevereiro, posteriormente prorrogada, devido à escalada de casos da Covid-19 na Capital. O embate entre a base de apoio à prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), e a sua oposição, liderada por Janad Valcari (Podemos), foi mais uma vez a pauta da sessão ordinária, que não teve deliberações da ordem do dia.

Na Tribuna, Janad declarou ter o objetivo de “estancar a roubalheira na saúde” e denunciou a compra, por parte da prefeitura de Palmas, de 35 mil unidades de testes rápidos para detectar o coronavírus, no valor de R$ 2,477 milhões, realizada entre abril a setembro de 2020, e, posteriormente a compra de outros 40 mil testes no valor de R$ 2,4 milhões.

Janad declarou: “seria muito bom para a cidade se estes testes não fossem superfaturados”. A presidente da Câmara argumenta que a prefeitura de Paraíso do Tocantins comprou, em Palmas, mil testes rápidos de valor unitário aproximado de R$ 20, que Araguaína comprou um lote maior, dos mesmos testes, por R$ 13, enquanto Guaraí comprou por R$ 11.


“Em Palmas, a nossa prefeita, minha não, de vocês, comprou em Goiânia, sendo que Palmas tem esses testes. Pagamos R$ 70 a unidade”, cravou Janad, que declarou ainda: “estou com todos os processos aqui”, se referindo a possíveis provas de sua denúncia. “Nestes dois processos que tenho aqui em minhas mãos, Palmas gastou R$ 4,789 milhões”, calcula a vereadora.


Janad declarou ainda ter áudios e conversas de WhatsApp que comprovam as suas denúncias. “A prefeita de Palmas colocou uma quadrilha para roubar o dinheiro da saúde. O dinheiro que o governo Federal mandou para salvar vidas”, bradou a vereadora.

A vereadora Solange Duailibe (PT), líder da base de Cinthia na Câmara, também foi à Tribuna, e destacou que a polarização imposta no Legislativo da Capital “deve prevalecer a ordem, a lei e a democracia. Não podemos abaixar nossas cabeças diante de tantas acusações, geralmente vindas da presidente deste poder, isso é lamentável. A presidente representa todos nós. Ela não representa a si mesma. Ela representa 18, e com ela, 19 vereadores da Câmara de Palmas”, frisou a Solange.


Janad x Rogério Freitas

Um novo embate em Tribuna entre Janad, presidente da Mesa Diretora, e o vereador Rogério Freitas (MDB), reestabeleceu o tom de polarização política no Legislativo Palmense, com mais troca de acusações e ataques pessoais. Janad se dirigiu também à prefeita: “pode utilizar a mídia podre de Palmas para me atacar”, disse.


“Ficam fazendo ataques para tentarem me calar, já disse e vou repetir, vou fazer meu trabalho como vereadora”, declarou Janad. A presidente se dirigiu a Rogério: “o vereador Rogério, ao invés de exercer seu papel, virou detetive e está investigando a minha vida” ironizou, para logo em seguida desafiá-lo: “você podia, com essa habilidade de investigador profissional, me ajudar a fiscalizar a prefeita”.


Não menos categórico, Freitas foi à Tribuna e respondeu à presidente da Mesa: “nem gostaria de subir a essa Tribuna, mas como vossa excelência tem muita dificuldade em calar, vai ser uma rotina. O que é dito aqui precisa ter resposta, vereadora Janad”, argumentou o vereador, que subiu o tom: “tenho me incomodado de sempre vir à Tribuna a reboque da presidente”.

“Direito de vez e voz”


A vereadora e professora Iolanda Castro (PROS) se dirigiu a Janad e Freitas para cobrar “o direito de vez e voz, independente do posicionamento e da ideologia que a gente venha a trabalhar”. “Será que resolve ficarmos apontando dedo se está naturalizada a morte?”, questionou Iolanda.

A professora destacou ainda, se dirigindo à presidente da Mesa Diretora, que “não tem UTI em Palmas, não tem UTI no Tocantins, não tem UTI no Brasil. Não é um problema localizado. Por isso não dá para ficar apontando os dedos”.

“Os esforços estão sendo feitos, a secretaria de saúde tem feito um trabalho bacana. A prefeitura tem batido na questão de trazer mais leitos, temos que valorizar esse esforço”, argumenta a vereadora, que relembrou: “dentro das últimas 24 horas mais três mil pessoas morreram de Covid”. Iolanda destacou o trabalho da secretária de saúde Valéria Paranaguá: “morreu no combate”.

A vereadora parafraseou o psicanalista Sigmund Freud: “nada na vida é tão caro quanto a doença e a estupidez” e completou: “todas convergem para a morte. O que mais temos visto no último ano é uma enxurrada de mortes que assola o mundo”, finalizou Iolanda Castro.