Palmas, Tocantins -

Política


Covid-19
130 visualizações

Reunião com Dorinha discute importação de matéria-prima para produção de vacinas

A parlamentar participou do encontro no intuito de dar andamento ao movimento de parlamentares para priorização da vacinação dos profissionais da Educação: #Vacina Já!
- Atualizada em
Descrição: Reunião nesta quarta, 20, buscou soluções para destravar importação do material Divulgação

Como membro efetivo da comissão externa criada pela Câmara dos Deputados para debater o enfrentamento à Covid-19, a deputada federal Professora Dorinha (DEM/TO) esteve reunida na noite dessa quarta-feira, 20 de janeiro, com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e colegiado na busca de soluções para destravar importação de ingredientes da China, usados nas vacinas, e doses prontas da Índia. 

 

A parlamentar participou do encontro no intuito de dar andamento ao movimento de parlamentares para priorização da vacinação dos profissionais da Educação: #Vacina Já!


Isso porque, a demora prejudica a produção da vacina de Oxford no Brasil, conforme celebrado em contrato da Fiocruz com o laboratório Astrazeneca; e a produção da CoronaVac, que possui parceria com o Butantan e o laboratório da China, Sinovac. 

 

*"O que buscamos são soluções reais para a resolução deste problema, visto que a Fiocruz informou que haverão atrasos para entrega da vacina de Oxford, por conta da demora na chegada da matéria-prima. Nossa luta também é pautada na garantia de prioridade aos profissionais da Educação. Os insumos precisam ser garantidos para produção do Butantan e Fiocruz”, destacou. 

 

Segundo o Ministério da Saúde, o País passa por dificuldades na liberação de 2 milhões de doses da vacina de Oxford, que foi produzida na Índia, juntamente com o instituto do país, Serum. Outro gargalo enfrentado é que laboratórios do Brasil ainda esperam que a China libere a exportação do IFA, matéria-prima utilizada para produção das vacinas no País.

 

A reunião foi realizada de maneira informal isso porque, oficialmente, até início de fevereiro o Congresso Nacional está em recesso. Além do ministro e de deputados federais, participaram do encontro: o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco; o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas; e o vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Marco Krieger.