Palmas, Tocantins -

Meio Ambiente


744 visualizações

Governo envia projeto de recuperação do Ribeirão Taquaruçu à Agência Nacional

O Projeto Taquarussu já faz parte do Programa Produtor de Água da Agência Nacional de Águas. Mais detalhe do programa pode ser visto no endereço eletrônico: www.produtordeagua.ana.gov.br.
- Atualizada em
Descrição: Formação de voroça Divulgação

O Governo do Estado do Tocantins, através da Semades – Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, realizou nesta quarta-feira, 14, o envio de um aditivo ao Projeto Taquarussu – Um fonte de vida à ANA – Agência Nacional de Águas, para avaliação e posterior aprovação de ações que irão viabilizar a conservação do solo e da água na bacia do Ribeirão Taquaruçu. O projeto que prevê um investimento na ordem de R$ 799.941,00 irá contar com a contribuição de R$ 719.946,90 por parte da União, equivalentes a 90% do recurso necessário e contrapartida do Estado de R$ 79.994,10 que equivale a 10% do valor total.

 

O Projeto de Recuperação Hidroambiental da Bacia prevê o dimensionamento e implantação de práticas conservacionistas que deverão reduzir os atuais impactos presentes no ribeirão, a partir de levantamentos topográficos, com a instalação de baciões de contenção e 192 km de terraços de retenção de águas de enxurradas.

 

A diretora Geral de Fundos Ambientais e Captação de Recursos da Semades, Ana Raquel Agra, ressaltou a importância da aprovação do aditivo ao projeto para o ribeirão e para a população. “Há poucos dias obtivemos a aprovação da proposta prévia desse projeto por parte da ANA (Agência Nacional de Águas) e hoje enviamos por meio eletrônico o projeto do aditivo. Para a população a aprovação desse aditivo será de grande importância, porque o Ribeirão Taquaruçu é responsável por grande parte do abastecimento de água na Capital. Com a manutenção da conservação do solo e da água nessa bacia, nós vamos conseguir mitigar os reflexos da falta d’água no período de estiagem, tanto em quantidade como em qualidade”, grifou Raquel Agra. 

 

De acordo com o diretor de Ativos Ambientais e Florestas da Semades, Hálisson Carpedyane, muitos benefícios ambientais poderão ser percebidos. “Com a execução das ações do aditivo, uma significativa redução do aporte de sedimentos aos canais e ao exutório da bacia (ponto de um curso d'água onde se dá todo o escoamento superficial, gerado no interior uma bacia hidrográfica banhada por este curso), a redução de erosões, o aumento da recarga de águas subterrâneas, a melhoria de trafego nas estradas vicinais beneficiadas pelas obras e a melhoria de qualidade da água no ribeirão”, enumerou Carpedyane.

 

Já a coordenadora de Pagamento por Serviços Ambientais da Semades, Poliana Sivestre, preferiu apontar um dos benefícios econômicos e sociais. “Além dos benefícios ambientais, o projeto tende a promover uma economia no processo de tratamento da água e uma maior garantia de abastecimento de água da população de Palmas, durante o período de estiagem”, pontuou Poliana.

 

Atores envolvidos

Em mais uma ação conjunta, a Semades será a proponente do projeto junto à Agência Nacional de Águas. Mas atendendo ao princípio da transversalidade desta gestão, irá firma parceria com a Secretaria de Infraestrutura do Estado para a etapa de execução das ações.  E com acompanhamento da Diretoria Geral de Fundos Ambientais e Captação de Recursos da Semades, que mobilizou técnicos de sua Diretoria de Ativos Ambientais e Florestais e da Coordenadoria de Pagamento por Serviços Ambientais, a Saneatins – Companhia de Saneamento do Tocantins – contribuiu com a etapa de desenvolvimento do projeto, através da contratação da TNC - The Nature Conservancy (organização responsável pelo envio do consultor Henrique Chaves e sua equipe) para estudos e elaboração do plano. (Ascom)