Palmas, Tocantins -

Minha Opinião

Roberta Tum

Roberta Tum

roberta.tum.9 @robertatum

Colunista do Editorial Minha Opinião


Opinião
3.919 visualizações

A polêmica do Jalapão fechado para todos, menos para alguns

Polêmica visita da atriz Carol Nakamura, amplamente divulgada nas redes sociais despertou a revolta e uma nota de repudio. Respondida por ela num post vitimista e cheio de meias verdades.
- Atualizada em
Andrea Marques/Governo do Tocantins

Cresceu nas redes no final de semana, o repúdio de agentes, operadores do turismo e cidadãos comuns, à quebra do decreto municipal de São Félix, que fechou os atrativos e proibiu a entrada na cidade de visitantes. Entendendo aí por visitantes todos os que não tem moradia comprovada na cidade.

 

A proibição da entrada foi quebrada pela atriz Carol Nakamura e seu noivo, o ator Guilherme Leonel, que acompanhados pelo proprietário da agência Mukau – que em seus post se intitula “o Rei” do Jalapão – circularam por São Félix, onde fotografaram e se fizeram fotografar. Ela especialmente, marcando em post do instagram, seus patrocinadores.

 

 

 

 

A polêmica, legítima que se instalou na rede é: se toda a região do Jalapão está fechada, como Carol e Guilherme entraram para a badalada visita? Com o aval de quem? A agência Mukau, como todas as outras, desconhece as restrições?

 

Perguntas que ainda aguardam respostas.

 

Uma nota de repúdio da ATTR – Associação Tocantinense de Turismo Receptivo, co- assinada pela Atureca e Ajaca, repercurtiu na imprensa nacional, alavancada pelo compartilhamento de jornalistas ligados ao turismo no Estado, causando a reação e as explicações da atriz, que se vitimizou nos posts publicados.

 

É uma pena. Deveria ter se desculpado, já que não existe nada que a faça diferente dos seus iguais, outras dezenas de artistas e músicos, globais ou não, na lista de espera das demais agências que operam no Jalapão. 

 

As explicações da atriz foram duas. A primeira, de que precisava descansar. Por isso a escolha pelo Jalapão, que afirma já ter visitado antes. A segunda de que foi comprar um terreno.

 

Nada disso justifica. Turismo de negócios também está proibido neste momento. O acordo de compra e venda que ela exibiu no stories não está assinado, e foi feito com um vizinho da fazenda onde ela se hospedou.

 

Detalhe: a fazenda Bela Vista é um dos atrativos fechados pelo decreto. Não se trata de uma simples propriedade particular que a atriz foi visitar por que é amiga do dono. Alí existe um fervedouro e uma pousada, além da casa do dono. Diz, quem conhece, que ela foi recepcionada e ficou hospedada na pousada.

 

Difícil acreditar na versão de Carol, uma vez que tudo, os posts antes da nota e da confusão ser armada, mostra uma turista em férias.

 

Num dos posts a atriz acusa de hipocrisia os que a criticam- já que segundo argumenta, não entrou no parque fechado por decreto estadual – e já que São Félix está se preparando para reabrir neste mês de setembro.

 

A régua, ao que parece está inversa. Se está tão perto de abrir, por que não esperar? Como todos os outros?

 

É óbvio que a visitação de famosos  ajuda a promover o Jalapão. Se alguns deles adqurirem terras e ajudarem a impulsionar o desenvolvimento da região, ótimo.

 

O que não dá é para ter uma regra, com exceções. Se alguma autoridade estadual fez isso -  abriu a exceção e facilitou a visita – cometeu um enorme desrespeito à autoridade que é do prefeito no município. E desrespeitou todo o Trade que espera há meses pela reabertura, investindo como pode na adaptação às novas normas de saúde e segurança.

 

O Jalapão não tem dono nem rei. Ele pertence a todo povo tocantinense, mas em especial a seus moradores, de vida e realidade tão sofridas, que merecem ser respeitados. Integralmente.

 

Confira a íntegra do decreto municipal