Palmas, Tocantins -

Minha Opinião

Ver comentários
Roberta Tum

Roberta Tum


roberta.tum.9 @robertatum
Colunista do editorial Minha Opinião

Opinião
1.145 visualizações

Carlesse reúne prefeitos e deputados em Ananás, se põe no jogo e na fogueira...

A movimentação de Carlesse na construção de uma pré-candidatura ao governo é visível
- Atualizada em
Carlesse reunido em sua fazenda no município de Ananás Divulgação

O jogo sucessório ao governo ano que vem parece esquentar de vez com a presença do presidente da Assembleia Legislativa, que fez nova turnê de visitas pelo Bico do Papagaio e encerrou a rodada reunindo prefeitos, vereadores, lideranças e oito deputados estaduais em sua fazenda no município de Ananás.

 

Segundo uma fonte do portal, Carlesse esperava 200 pessoas e acabou recebendo mais que o dobro. Entre os aliados, a presença da vice-presidente da Casa, que ainda não tinha ido a nenhuma reunião política de Mauro Carlesse no Bico, deputada Luana Ribeiro. Também entre os presentes, o deputado José Augusto, aliado da senadora Kátia Abreu.

 

A movimentação de Carlesse na construção de uma pré-candidatura ao governo é visível, ainda que o convite tenha sido feito para “discutir o Tocantins, e não uma candidatura só”, dizem os aliados do presidente.

 

De curiosa, a presença do deputado federal Carlos Gaguim, do Podemos, de quem especula-se uma saída do seu partido para o Democratas. O Podemos estaria se preparando para receber a senadora Kátia, pré-candidata já colocada na disputa pelo Araguaia e que vem trabalhando diuturnamente seu nome em todo Estado.

 

Procurado ontem pela reportagem do T1 Notícias para comentar sua aproximação de Carlesse e um possível rompimento com o governo Michel Temer, Gaguim não retornou. Embora repute a informação a boatos de bastidores, sua assessoria também não negou um movimento de afastamento de Gaguim de Temer... E de Marcelo Miranda, de quem se reaproximou recentemente.

 

Político, Gaguim promete apoio a Mauro e lança vice do Bico…

 

Quem foi à reunião e ouviu os discursos conta que Gaguim usou o microfone e prometeu apoio a Carlesse com duas condições: que o vice seja do Bico do Papagaio e que o governadoriável prometa pelo menos três pastas do seu hipotético futuro governo a lideranças do Bico.

 

Carlesse, que discursou por último, fez ouvidos moucos e não respondeu ao deputado federal.

 

O deputado, eleito com Miranda, já se distanciou do governador no começo da gestão, aliando-se à senadora Kátia Abreu, de quem se afastou quando decidiu apoiar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

 

O assédio em torno de Carlesse mostra, no entanto, que há um quarto grupo em campo. Além do próprio PMDB, que tem Marcelo como candidato natural à reeleição, da senadora Kátia Abreu, que lhe faz oposição, e do prefeito Carlos Amastha, o presidente da Assembleia já mexe as peças do tabuleiro em seu favor.

 

No alvo do fogo amigo e inimigo

 

Uma das medidas de Carlesse dentro da nova postura de mais independência adotada pelo Legislativo, foi pedir de volta os servidores cedidos pela Casa para parlamentares. O senador Vicentinho Alves já devolveu dois. O próprio deputado Carlos Gaguim pediu mais tempo para devolver os seus.

 

No contravapor, uma denúncia anônima chegou ao Ministério Público para tratar de servidores “fantasmas”. Alguns indicados do grupo de Carlesse estariam batendo o ponto e deixando seus postos de trabalho. A denúncia virou portaria publicada pelo MPE, que vai investigar o fato. “Se estão na Casa todos os dias, já não são fantasmas”, reagiu um dos assessores do presidente.

 

Pelo que se vê, a sucessão já começa mesmo a esquentar as rodas, os debates, o fogo amigo e o contravapor. Como ainda é bem cedo, resta ver quem sobrevive até maio do ano que vem.