Palmas, Tocantins -

Minha Opinião

Roberta Tum

Roberta Tum

roberta.tum.9 @robertatum

Colunista do Editorial Minha Opinião


Bastidores
2.538 visualizações

Com cenário em aberto, fala-se tudo, até que Gomes vem aí para Prefeito

Uma candidatura difícil de se imaginar, até por que o senador tem pela frente sete anos de mandato. Mas é o que já corre nas rodas: Eduardo Gomes, um nome que pode agitar a sucessão de Cinthia Ribeiro
- Atualizada em
Descrição: Aliado da prefeita, Gomes tem nome ventilado para sucedê-la Reprodução

Tranquilo em Brasília mais do que nunca, na liderança do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Senado, tudo que não se espera do senador Eduardo Gomes (MDB), num começo de mandato de oito anos, é uma candidatura a prefeito de Palmas.

 

Certo?

 

Tudo indica que sim, mas pode ser que não.

 

É que começa a circular em rodas bem restritas da política tocantinense que a vontade do senador em ser prefeito de Palmas caminha para encontrar a oportunidade da candidatura no ano que vai chegando daqui pouco mais de um mês.

 

Eduardo Gomes, diga-se, já foi prefeito de Palmas uma vez. Em substituição à prefeita Nilmar Ruiz, quando era presidente da Câmara Municipal. Mas se daquela vez cumpriu tabela, desta pode ser diferente.

 

E qual a lógica dessa teoria?

 

É que o cenário da Capital, financeira e administrativamente é melhor do que o Estado, onde se diz que Gomes seria pré-candidato a governador na sucessão de Mauro Carlesse.

 

Por ora, a sucessão conta com o nome da prefeita Cinthia Ribeiro, candidata natural à reeleição, com o candidato do ex-prefeito Carlos Amastha -  maioria das apostas em torno do nome do vereador Tiago Andrino (PSB)–  com o nome do vice-governador Wanderlei Barbosa e nas ruas especulações em torno do ex-prefeito Raul Filho, que estaria elegível para a data das próximas eleições.

 

Isso sem falar nos pré-candidatos de menor expressão até aqui, seja por não terem tradição na política, ou por representarem partidos de baixa votação.

 

O nome de Gomes poderia retirar da disputa o vice, Wanderlei Barbosa, que já conta com a prerrogativa de ser governador por nove meses no afastamento necessário de Mauro Carlesse (DEM) numa eventual disputa pelo Senado.

 

Eduardo Gomes, que recebeu o apoio da prefeita de Palmas na reta final de sua eleição ao Senado, acabou de conseguir, há poucos dias, a liberação de recursos da ordem de R$ 5 milhões para a capital.

 

O que ninguém pode negar é que Eduardo Gomes tem cacife para disputar a eleição que quiser.

 

Se vai descer do Olimpo e abrir mão do paraíso que dizem ser o Senado, já são outros quinhentos.

Notícias sobre:

eduardo gomes sucessão palmas