Palmas, Tocantins -

Minha Opinião

Roberta Tum

Roberta Tum

roberta.tum.9 @robertatum

Colunista do Editorial Minha Opinião


Análise
766 visualizações

Decreto do governo abre leque de possibilidades para enfrentar a crise do Covid-19

Com decreto de situação de emergência o governo do Tocantins poderá contratar leitos sem licitação, adquirir insumos e medicamentos e cuidar do impacto econômico nas populações carentes...
- Atualizada em
T1 Notícias

O governo do Estado, ao decretar na noite desta terça-feira, 18, Situação de Emergência no Tocantins abriu a porta para tomar medidas rápidas e sem burocracia para enfrentar a pandemia que o Covid-19 traz, e que já chegou a Palmas com o caso de uma advogada, primeiro a ser oficialmente confirmado.

 

Além dele, aguarda-se a qualquer momento que o Ministério da Saúde atualize os dados e responda seguramente se as duas palmenses isoladas em casa desde que retornaram da Itália com sintomas do vírus estão positivas para o Corona Vírus.

 

Abre parêntese.

 

É fato consumado a circulação do vírus na capital. A advogada que teve a coragem de ir ao grupo de mulheres da OAB confirmar seu resultado e pedir que as colegas que estiveram na mesma conferência tomassem suas providências, viajou com mais 20 pessoas.

 

Nem todas mulheres voltaram juntas ou no mesmo vôo, mas o fato é que a suspeita existe e este grupo, mesmo assintomático deveria ser todo testado, para a partir dele, se acompanhar o lastro do vírus na capital.

 

Fecha parêntese.

 

O que de fato o decreto muda?

 

Primeiro que o governo do Estado pode adquirir medicamentos e contratar leitos de UTI sem licitação para atender a demanda de casos.

 

Segundo que o governo pode requisitar bens e serviços hospitalares da rede privada e indenizar os empresários por eles.

 

Terceiro: medidas sociais de mitigação econômica da crise podem ser tomadas.

 

Segundo uma alta fonte do governo, Carlesse estuda agir com as pastas de assistência social junto às populações economicamente mais frágeis.

 

Essa medida é fundamental para que não haja um caos social movido pela economia, que já começa a sentir a baixa no consumo.

 

Vamos aguardar as novas medidas.

 

Obrigando as empresas de transporte a fornecer álcool gel, o governo dá um passo importante na proteção das pessoas em trânsito. É preciso atuar junto aos atacadistas e fornecedores para garantir a oferta, mas o ideal é fechar fronteiras e controlar a situação de pessoas.

 

A saúde pública está acima de todos os demais interesses. Que este decreto seja um canal para executar as políticas públicas que achatem a curva de crescimento de casos no Tocantins nas próximas semanas.

 

Confira o Decreto: