Palmas, Tocantins -

Minha Opinião

Ver comentários
Roberta Tum

Roberta Tum


roberta.tum.9 @robertatum
Colunista do editorial Minha Opinião

Opinião
1.490 visualizações

Eleição de Ataídes no PSDB será judicializada: Cinthia usa o tempo para tomar decisão

PSDB teria reelegido Ataídes sem manter a transparência nas informações sobre votantes e teria desrespeitado requisitos do edital. Judicialização acontecerá antes da eleição da Nacional
- Atualizada em
Convenção Estadual do PSDB/TO neste última sábado, 4 Divulgação

A segunda-feira, 6 começou com o rescaldo da eleição do PSDB, que reconduziu no comando do partido o ex-senador Ataídes de Oliveira.

 

Uma eleição que contou com algumas “omissões”. Nem a prefeita da capital, Cinthia Ribeiro, nem o prefeito de Gurupi, Laurez Moreira deram o ar da sua graça. O PSDB segue, com Ataídes, semi-esvaziado pela ausência de nomes significativos do partido. De 27 prefeitos do partido, confirmaram comparecimento, 15. Longe dos 90% anunciados em discurso pelo prefeito de Pium Valdemir Barros.

 

Permanecem com o ex-senador, o grupo que criou nos últimos anos, por força do mandato e a distribuição de emendas que fez aos municípios, mas muita coisa pode mudar no PSDB do Tocantins depois da eleição da Nacional do partido no final do mês.

 

Sem informações sobre quem eram os votantes aptos, entre outras que solicitou à direção do partido, a prefeita da Capital optou por não participar do processo. Nos bastidores, o que se escuta é que Cinthia Ribeiro não quer deixar o PSDB, devido aos laços que criou principalmente com a bancada feminina. 

 

Uma fonte do portal junto à prefeita, no entanto confirmou na manhã de hoje que Cinthia Ribeiro vai judicializar o resultado das eleições por conta da falta de transparência nas informações sobre os votantes, falha na publicação e republicação do edital sem cumprimento de prazos entre outros motivos.

 

“O Ataídes fez com o pessoal dele, do jeito dele, sem respeitar muito bem o regimento. Vamos questionar isso”, disse um dos tucanos ligados à prefeita.

 

O fato é que o tempo favorece a escolha tranquila de um novo partido, caso a nacional do PSDB opte por fortalecer o ex-senador Ataídes no comando da legenda no Tocantins.

 

Democratas e Podemos são dois partidos com as portas abertas para a prefeita da Capital neste momento. Sua relação com a deputada Professora Dorinha é das melhores e pode nascer desta aproximação, novidades nas próximas semanas em Palmas.

 

Já o Podemos é um partido comandado por uma mulher e com o qual o senador Eduardo Gomes é um dos grandes interlocutores.

 

Prefeita silencia sobre críticas do governador

 

A respeito do Democratas, há a questão de que o governador Mauro Carlesse (PHS) está migrando para o partido e na semana passada, fez críticas abertas à prefeita da capital, após a deixa do vice-governador Wanderlei Barbosa que reclamava das condições da quadra industrial (a da 75 e não a da 15) e solicitava ao secretário de Infraestrutura, estudos para agilizar esta obra.

 

Pelo menos nas redes sociais, a crítica de Carlesse de que “Palmas é uma cidade de quatro avenidas”, onde “o povo sofre sem asfalto nas quadras” e que estaria apenas “10% pavimentada”, não encontrou eco positivo. Um verdadeiro batalhão de críticos reagiu às declarações e à matéria publicada no T1 Notícias.

 

Sem responder o governador diretamente, a prefeita dá sinais de que não quer alimentar a polêmica. Restará aos bombeiros de plantão aplainar o caminho que pode levar nos próximos dias a uma conversa entre os dois.

 

Afinal, mesmo que não se discuta as críticas publicamente, não é possível ignorar a fala do governador de que o Estado está “aberto a parcerias”, mas que faltaria iniciativa da prefeita para tanto.

 

O consenso dos dois lados parece ser o de que a eleição do ano que vem, não deve atropelar a pauta administrativa deste ano.

 

A população de Palmas não merece os resultados práticos de um confronto desses.