A jovem advocacia necessita de vitórias efetivas

Advogado Rafael Godinho
Descrição: Advogado Rafael Godinho

Enquanto a atual gestão da Seccional Tocantins encerra o funcionamento do escritório compartilhado Danillo Sandes, da OAB/TO, localizado na cidade de Palmas, importante conquista para valorização de toda advocacia e, especialmente, para integração e promoção dos jovens advogados, em início de carreira, numa tentativa de dissipar a atenção, a atual gestão comemora a aprovação de uma Lei municipal, de Araguaína, que estabeleceu o dia da Jovem Advocacia na data de 14 de março.

 

Bom, não haveria nenhum problema em comemorar a vitória simbólica, se, efetivamente, a gestão estivesse valorizando, promovendo e desenvolvendo políticas para a integração dos advogados que, assim como eu, estão em início de carreira. 

 

Costumamos a dizer, em ambientes cujo centro das preocupações é a advocacia, e não o culto a personalidades questionáveis, que “a prática é o critério da verdade”. Não há efetividade nos simbolismos que não apontem ações concretas para fortalecer a categoria. É necessário esforço real para integração profissional dos recém-formados. 

 

O Escritório Compartilhado Danillo Sandes, funcionava em regime de coworking, com recepção, estações de trabalho individuais e quatro salas de reunião, todas equipadas. O nome emprestado ao Escritório homenageava um Jovem advogado, tocantinense, brutalmente assassinado enquanto exercia a profissão. 

 

A atual gestão da OAB Tocantinense encerrou o funcionamento do mencionado Escritório e reputa um simbolismo marqueteiro como vitória. A conta não fecha. Não basta vitórias e “valorizações” aparentes.

 

Além da simbologia de homenagear um jovem advogado, o Escritório Danillo Sandes, localizado no Edifício Palmas Business Center, representava, na prática, uma vitória efetiva para o conjunto dos jovens advogados. Tínhamos um espaço altamente equipado e reservado para atendernossos clientes. 

 

Foi no Escritório compartilhado, à época em que ainda não tínhamos sede própria, onde realizei meus primeiros atendimentos e consegui o suporte necessário para consolidar a minha Firma.

 

Na prática, a jovem advocacia vive e suporta, atualmente, uma profunda derrota com o encerramento das atividades do Escritório Compartilhado. Enquanto isso, a Direção da OAB, Seccional Tocantins, apaga as vitórias efetivas que não podem ser capturadas pelo Presidente Gedeon.

 

Moral da história – se é que podemos falar em moral no atual contexto – estamos a comemorar peças publicitárias, simbólicas, que, ao fim, desmerecem a capacidade de discernimento dos jovens advogados. É importante que tenhamos um dia destinado a advocacia jovem, mas isso deve estar associado a ações efetivas que garantam a integração e valorização do futuro da advocacia tocantinense.

 

Rafael Godinho, advogado constitucionalmente engajado, bacharel em Direito pela Universidade Federal de Goiás, mestre em Letras pela Universidade Federal do Tocantins, pós-graduação em Direito e Processo Constitucional pela Universidade Federal do Tocantins.

Comentários (0)