Jeito de Mulher gera emprego para cerca de 300 mulheres em várias cidades do TO

Projeto foi lançado em março e 258 mulheres já se formaram nos cursos de Eletricista, Instalador de Alarme e Produção de Derivados do Leite em Araguaína, Guaraí, Gurupi, Palmas, Paraíso e Porto

258 Mulheres receberam capacitação
Descrição: 258 Mulheres receberam capacitação

Mais de 250 mulheres tiveram suas vidas transformadas através do Projeto Jeito de Mulher, lançado em março deste ano pelo governo do Estado e já estão atuando no mercado de trabalho. É o caso de Ingridy dos Santos, 24 anos, que inseriu em sua rotina acessórios como botas, luvas, capacete e ferramentas.

 

No segundo semestre deste ano, as mulheres das cidades de Araguatins e Dianópolis também receberão os cursos do projeto, acrescidos de cursos de Pedreiro, Mecânico de Manutenção de Motocicleta, Operador de Retroescavadeira, Operador de Máquinas Agrícolas, dentre outros.

 

Planejando o futuro

Ingridy dos Santos se formou em Eletricista de Instalações Comerciais e Residenciais. Moradora da cidade de Guaraí, cidade localizada a 180 km de Palmas, juntamente com mais 16 colegas de sala de aula descobriu que o curso a levaria além. "Vamos nos unir e abrir juntas nossa empresa. Daremos ao nosso empreendimento o nome Jeito de Mulher. Sairemos de uma capacitação dedicada a nós e abriremos nosso estabelecimento apenas com serviços ofertados por nós mulheres", vislumbrou.

 

Outra participante do projeto, Paula Antonelli, 34 anos, defendeu que o Jeito de Mulher oportunizou a ela “um rumo em minha vida”. No entendimento dela, a qualificação era o melhor caminho para o sucesso profissional. Ela ainda expressou estar satisfeita por participar do projeto que é uma oportunidade de capacitação pensada exclusivamente para mulheres, além de engrandecer o suporte logístico concedido às alunas.

 

“Havia uma sala onde minhas filhas e os filhos de outras colegas podiam ficar enquanto nós estudávamos. Esse cuidado comigo e minha família foi preponderante para eu participar do curso. Se não fosse isso, seria mais uma chance em minha vida que deixaria passar”, disse.

 

Em Palmas, a autônoma Edileuza Morais, 61 anos, optou pelo curso de Produção de Derivados do Leite pensando em uma gama maior de oportunidade na área que já atua. “Eu vendo chocolates nas portas das escolas. A partir de agora, pretendo vender doce de leite e geladinho de iogurte. São novos produtos e valores agregados sem alteração na rotina do que eu já vendia”, afirmou.

 

O Jeito de Mulher já percorreu várias cidades tocantinenses, como Guaraí, Porto Nacional e Araguaína. Mesmo em tempos modernos, costuma-se ver as profissões de eletricista, instalador de alarme, produtor de derivados do leite, desempenhadas por homens. Mas, “o Jeito de Mulher é o início de uma semente porque o que fica é o que plantamos. Esse projeto mostra que elas saem à frente, sem deixar de cuidar dos seus compromissos domésticos”, pontuou o governador Marcelo Miranda, na ocasião da solenidade de lançamento do projeto.

 

Descentralização

O salto na qualidade de vida das mulheres tocantinenses é uma observância que o projeto Jeito de Mulher já proporcionou e tem proporcionado à desconstrução de uma concepção equivocada de que: apenas homens podem desempenhar profissões consideradas pesadas ou perigosas.

 

A secretária de Estado do Trabalho e da Assistência Social (Setas), Patrícia do Amaral, disse que o Governo do Tocantins aposta nas ações de políticas públicas descentralizadas, isto se confirma quando o órgão vai ao encontro dessas cidadãs onde elas estiverem. Estratégias como essas tornam o Tocantins cada vez melhor, do ponto de vista empregatício na opinião da gestora. “A marca do Governo do Estado foi impressa em cada cidade que chegamos com o projeto Jeito de Mulher. Nos municípios, percebemos as novas oportunidades de emprego que surgiram para elas, para além do salto na melhoria da qualidade de vida das famílias atendidas pelo Projeto”, defendeu.

 

Experiência

O instrutor Antônio Moreira Neto, que pela primeira vez fez uma capacitação apenas com mulheres, diz ter se impressionado pela desenvoltura e pelo comprometimento das alunas no decorrer do Jeito de Mulher. “Elas são muito dedicadas e fazem tudo com bastante zelo. Além disso, tudo que elas aprenderam, puderam colocar em prática. Elas estão prontas para o mercado”, disse.

 

Incentivo

Além de participarem dos cursos gratuitamente, as alunas foram contempladas com todo o material didático das aulas teóricas, os materiais e os equipamentos de segurança necessários para as disciplinas práticas, além de lanche e vale-transportediários às que compareceram ao curso.

 

A meta é que até o final deste ano, 465 mulheres sejam capacitadas, conforme o gerente de qualificação profissional do Sistema Nacional de Emprego do Tocantins (Sine), Kleber Wessel. “A previsão era de turmas com 15 pessoas, mas por meio de parcerias, conseguimos subir este número para 20 alunas por turma”, concluiu.

 

 

(Com informações da Setas)

 

Comentários (0)